domingo, 27 de novembro de 2011

Coluna Falando Sério

Hoje vou me deter à geração das redes sociais, uma geração de causas generalistas. Exemplo maior é a campanha contra a corrupção sem nenhum embasamento teórico ou ideológico. Jovens perdendo horas a frente da tela de computador “cutucando”, “orkutando” ou no “bate-papo”. São jovens que se articulam no mundo virtual, diminuindo o espaço e o tempo, potencializando a difusão de informação por “eu ouvi falar” ou “ouvi dizer”. Grande parte dessa geração acredita que Voltaire, Platão, Aristóteles, Karl Marx, Lênin, Stalim, Fidel, Kant, Nietzsche, Max Weber, Durkheim, Foucault, Sartre, Arendt e tantos outros que ajudaram a forjam o mundo moderno, quando perguntando se possui alguma referência ou idéia de quem se trata? Muitos não lembram, outros disseram achar que se trata de algum personagem de revista em quadrinhos, de algum livro de ficção, de algum filme policial e os que se arriscaram, criaram teorias mirabolantes! Sendo assim, ainda é preciso fazer alguma previsão para a sociedade do futuro? 
Unir
A professora Maria Cristina deverá assumir mesmo a reitoria da Unir, pois a mesma para assumir a vice-reitoria teve seu doutorado convalidado. Portanto, o resto é mera especulação.
Anjos
Com apenas oito dias da Operação Termópilas, outra operação da Policia Federal pegou muita gente ainda de pijama nessa sexta-feira (25/11). Dessa vez foi a Anjos do Asfalto e o alvo foi o DNIT.
Desvinculação
Quando a Polícia Militar elegeu seu primeiro deputado estadual, o Cel. Abreu, este apresentou o Projeto de Lei Complementar 58, pedindo para desvincular a PM do quadro salarial que existia com a Polícia Civil.
Pensando
Quem se beneficiou com tal PLC 58 foi a Polícia Civil por ter o contingente de pessoal memor. A PM na época pensou com os olhos maiores do que a barriga, desde então, vem sofrendo uma enorme defasagem salarial.
Autonomia
Além da correção das percas salariais, a PM também almeja conseguir de volta a sua autonomia financeira com o governador Confúcio Moura (PMDB).
Esperado
Não é fácil para um governante de uma hora para outra, corrigir as distorções salariais dos funcionários públicos estaduais. Só a Polícia Militar são mais de cinco mil servidores na ativa, além dos que estão na reserva remunerada. Assim, é preciso muito caldo de galinha nessa hora, afinal, é impossível fazer em onze meses o que não foi feito em oito anos.
Encontro I
O fim da semana foi marcado pelo Encontro Regional do PMN na capital. Evento que teve a presença do deputado estadual Lorival Amorim (PMN) e membros da Executiva Nacional do partido.
Encontro II
O encontro do PMN serviu para o presidente regional da legenda Sandro Moret, referendar o nome do vereador Mário Sérgio (PMN) como pré-candidato a prefeito do PMN a prefeitura de Porto velho.
Animado
O vereador Mário Sérgio que por hora responde pela pasta municipal da EMDUR, não descarta a possibilidade de receber o apoio do prefeito Roberto Sobrinho (PT), caso este não consiga empinar na Convenção do PT, o seu pré-candidato preferido a sua própria sucessão.
Disputa
A deputada estadual Epifânia Barbosa, que também é presidente estadual do PT, teve sua pré-candidatura dentro do PT sucumbida. Por conta do desgaste sofrido com a Operação Termópilas.
Fortalecido
Quem saiu fortalecido com o desgaste da deputada Epifânia Barbosa (PT) foi o vereador Cláudio Carvalho. Este pretende disputar na convenção do PT com apoio do prefeito Roberto Sobrinho (PT), a indicação de pré-candidato a prefeito da capital pela legenda petista.
Solo I
Caso vença a convenção interna do PT, a ex-senadora Fátima Cleide virá numa candidatura solo, ou seja, sem apoio de uma ala do partido e sem apoio de partidos em sua coligação.
Solo II
Outro que poderá vir numa candidatura solo a prefeito da capital, é o deputado federal Mauro Nazif (PSB). Este sempre deixa para última hora a suas articulações e não termina agregando ninguém.
Aparecendo
O professor Paim (PHS) vem aparecendo como forte pré-candidato a vereador de Porto Velho. Este tem um grande serviço prestado a educação e foi quem deu o ponta pé inicial pelo avanço do ensino tecnológico na rede estadual de ensino.
Consenso
A peleja da CERON continua entre o Senador Ivo Cassol (PP) e Valdir Raupp (PMDB). O nome de consenso não seria nem João e nem Alceu, e sim, o de José Genaro.
Cumbuquira
Não adianta se enganar, o chefe da CGA Vicente Moura, o famoso Cambuquira, é filiado histórico do PMDB. Vem do tempo do senador Ronaldo Aragão e acompanha o Governador Confúcio Moura (PMDB) ao longo de sua vida pública.
Frase
“A mim nada compromete. Sou planta do deserto. Quando a seca é forte, me alimento com uma única gota de orvalho”. Essa frase foi repetida várias vezes por Leonel Brizola (PDT).

Comemorei e não morri, para alegria de uns e tristeza de outros!

Crédito da foto: Imã foto Galeria

            Venci os supersticiosos, como já tinha escrito, comemorei meu aniversário antes da data e não morri. Mais mesmo assim, foi especial a passagem pela data, pois Deus nos reserva grandes surpresas. Nesse dia, ele me guiou para Nova Mamoré e Guajará-Mirim, região de fronteira que tenho pelo lugar, uma verdadeira e grande paixão.
            A fronteira foi meu berço em Rondônia, me adotou e logo me apaixonei. Não tenho vergonha de declarar esse amor pela cachoeira do Ribeirão, pelos encantos proporcionados pela Serra dos Parecis, pela história da Estrada de ferro Madeira-Mamoré cravada no Distrito de Iata e na Vila Murtinho. As lendas desde os ides da colonização, dos tempos dos descobridores, da chegada dos jesuítas, da passagem dos sertanistas, das aventuras dos bandeirantes e por fim, dos pioneiros que aqui fizeram a sua história e ajudaram fazer a história do lugar.
            Também tenho que declarar o meu amor aos encantos da natureza quando se encontra as águas do Rio Beni com as águas do Rio Mamoré, transformando-se no berço do Rio Madeira. Não posso deixar de contar o quanto vale conversar com os mais velhos, estes nos leva a uma viagem pelo tempo, contando histórias fascinantes da vida nos seringais.
            Tenho que reafirmar e parabenizar aqueles que um dia sonharam em possuir um pedaço de chão, plantar, colher, criar e tirar o sustento da família. Esses são os desbravadores heróicos que vieram para o assentamento Sidney Girão, agigantando Nova Mamoré.
            Meu amor pela diversidade cultural da região é tão grande, como diz Roberto Carlos em suas canções. A gastronomia é marcante, tem farinha, saltenha, feijão, bolo de arroz, macaxeira, batata-doce, melancia, banana, cupuaçu, castanha-do-pará, biribá, jaca, milho cozido, pupunha, buriti, cocada, tamarindo, vatapá, pirarucu a casaca, caldeirada de peixe, galinha picante e os famosos costelãos.
            O lugar é multicultural, se brinca o carnaval com os Baladeiros em Nova Mamoré, mais também tem carnaval fora de época de Guajará-Mirim. As festas juninas se alongam até julho e o maior duelo da fronteira, fica entre os Bois Malhadinho e Flor do Campo.
            Meus olhos fixam nas habitações do lugar, nos traços culturais, na miscigenação e nos monumentos históricos erguido por aqueles que ali chegaram primeiro. A minha mente tenta traçar uma linha entre o apogeu e decadência de Guajará-Mirim, a cidade pérola do Mamoré. Fico matutando, procurando de respostas, meu espírito se transfigura nas almas que tem um sonho em comum, ver novamente o Guajará acordar da letargia que está vivendo e voltar a andar.
            O dia 23 de novembro de 2011 foi marcante para mim, senti a falta da companhia do meu filho Luíz Renato. Mais tive o primeiro parabéns dado por Neto Lins e ainda desfrutei da companhia do meu grande amigo Jair Montes e do nosso escudeiro Frank, substituindo no amigo Sidney. Chegando a Nova Mamoré, não deixei de ter o abraço e o puxão de orelha da Maria do Socorro.  Os conselhos e a mão amiga de Zé Renato da EMATER. O carinho dos funcionários do Banco do Brasil, dos servidores da prefeitura e de muitos amigos que abracei pela rua.
            O dia se tornou mais especial quando almocei na tradicional Peixaria Macaxeira em Guajará-Mirim, na companhia do meu amigo-irmão Renato e sua esposa Tatiane. Também tive o privilégio de ter em nossa mesa, um dos homens que mais admiro pela sua inteligência, coragem e história de vida, professor Dorosnil e sua esposa, a quem rendo a minha homenagem final. O dia todo foi marcado por felicitações, não parava de chegar mensagens, telefonemas e recados nas redes sociais. Nossa, tenho que agradecer a Deus por tanto carinho recebido por tantos amigos que por um momento pensei que não se lembrariam de mim.

sábado, 26 de novembro de 2011

Faltou criatividade para comemorar o Aniversário da Polícia Militar de Rondônia


            Com a extinção da Guarda Territorial de Rondônia em de 26 de novembro de 1975, no mesmo decreto, fez nascer à briosa Polícia Militar do Estado de Rondônia. Então hoje, todos que fizeram ou fazem parte de sua história, devem encher o peito de orgulho, pois são 36 anos de história.
            Mesmo com o dia festivo de ontem (25/11) com entregas de medalhas, reinauguração do prédio do Comando Geral, lançamento de revista comemorativa, entregas de viaturas, de medalhas dos jogos internos e só.
            Bem que se poderia ter feito uma semana alusiva aos festejos dos 36 anos de criação de uma instituição séria, comprometida em promover a segurança da sociedade e manter a ordem. Mais a mentalidade que comanda a nossa PMRO esta bem distante de aproximar à briosa Policia Militar da sociedade, bem como, de promover uma integração maior entre os que escrevem a sua história.
            A semana poderia ter sido marcada com competições esportivas abrangendo várias modalidades, poderia ter sido feito uma mostra de talentos, realizar uma cerimônia de promoção de Militares as mais diversas graduações e tão aguardada pelos oficiais. Ainda faltou a promoção de um grande desfile com a participação de delegações das demais unidades da instituição espalhada pelo Estado, como forma de promover uma integração maior entre todos que escrevem sua história atual.
            Esqueceram que a Polícia Militar possui um Colégio de educação básica, este poderia ter interagido com as mais diversas disciplinas dos componentes curriculares, ou seja, trabalhar com a História, Geografia, Produção Literária, Artes etc. E por fim, premiar os trabalhos de grande relevância produzidos pelos alunos.
            A semana poderia ter sido marcada com várias conferências sobre segurança pública nas Escolas, Bairros, Instituições de Ensino Superior, etc. Tal evento reuniria profissionais que fazem a segurança pública do nosso Estado. Perdeu a oportunidade de promover uma interação com lideranças comunitárias, comunidades escolares, Conselhos e demais representações da sociedade civil, para proporcionar um debate com temas voltados para o policiamento comunitário, as ações positivas do policiamento ostensivo, a parceria e interação ente policia e comunidade.
            Esqueceram de promover momentos de lazer e recreativo com as famílias dos que escrevem os capítulos da história da briosa Polícia Militar do Estado de Rondônia, bem como, promover um Ato Ecumênico, reunindo evangélicos e católicos, que levassem uma mensagem de paz e de humanização da instituição ao coração de todas as autoridades que fazem a segurança pública no Estado, policiais militares, familiares e a sociedade em geral. E tantos outros eventos que poderiam ter feito parte da programação que marcaria a comemoração de aniversário da nossa PMRO.
O que marcou na verdade foi a demonstração da falta de consideração e criatividade para se comemorar verdadeiramente o aniversário da nossa briosa Polícia Militar do Estado de Rondônia.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Coluna Falando Sério

Em meados de setembro, este colunista fez uma reflexão sobre o início do ano legislativo da Assembléia e o quadro que se desenhou de ferrenha desarmonia entre o Poder Legislativo com o Executivo. Afirmei ironicamente que o deputado estadual Valter Araújo (PTB) estava sabiamente sabendo conduzir o processo de harmonização dos poderes com ajuda dos demais deputados estaduais, mudando os “modus operandi” comparado aos das legislaturas passadas e fiz vários alerta a sua assessoria de imprensa do que poderia vir acontecer, mais “esse” me dizia que não acreditava em Papai Noel. Pois bem, o trenó do xilindró, chegou bem mais antes que a noite de Natal.
Reconhecimento
Imprescindível o reconhecimento público que teve o deputado estadual Hermínio Coelho (PSD) em ser o único membro da Mesa Diretora da Assembléia Legislativa que não estava envolvido no esquema da “propinagem” mantido pelo deputado estadual Valter Araújo (PTB).
Discurso
O ex-governador e hoje senador Ivo Cassol (PP) ao usar a tribuna do senado para fazer suas considerações sobre a Operação Termópilas, deve ter sido acometido de amnésia.  Pois a maioria dos envolvidos, são empresários que nasceram no seu governo e quanto ao deputado Valter Araújo (PTB), esse sempre foi seu principal aliado de primeira hora.
Extensão
As investigações da Operação Termópilas deveria se estender as empresas que prestam serviço de vigilância ao Estado desde a época do governo de Ivo Cassol. É sabido que ao apagar das luzes do governo passado, o contrato foi aditivado e pago em tempo record nas vésperas da noite de Natal.
Insatisfação
O “extrazinho de natal” a empresa de vigilância que presta serviço ao Estado, teria motivado o distanciamento político do senador Ivo Cassol (PP) e o ex-governador João Cahúlla (PPS). A verdade do fato não seria porque o senador considerou o ato ilícito, mais por beneficiar o seu principal desafeto político.
Urgência
O senador Ivo Cassol (PP) precisa com urgência se dirigir ao Hospital João Paulo II para tomar uma injeção de fósforo na veia, a fim de reativar a sua memória, coisa que ele não fez em oito anos passado, mais precisa fazer agora. Pois este cenário de corrupção no Estado, tem raízes profundas desde o seu governo.
Suplentes I
No caso dos suplentes de deputados estaduais envolvidos que poderão ser convocados para assumirem a titularidade do mandato mediante o pedido da justiça a Assembléia Legislativa, dificilmente acontecerá.
Suplente II
Primeiro, o ex-deputado Carlão de Oliveira está quase morando dentro da Assembléia Legislativa para dar pressão nos demais deputados estaduais - não envolvidos no esquema da “propinagem” - para não afastar e nem muito menos cassar o mandato de qualquer titular de mandato que seja, pois seria uma desmoralização para ele e para o seu filho, o deputado estadual Jean de Oliveira (PSDB).
Suplente III
Dos suplentes mencionados pela justiça, dois são vereadores da capital. Assim, o Pastor Delson (PRB) e Cláudio Carvalho (PT) dificilmente se arriscaria renunciar seus mandatos de vereadores para assumir a titularidade do mandato de deputado estadual, sem a certeza da efetividade do cargo.
Titularidade
Não renunciando aos seus respectivos mandatos de vereadores, o Pastor Delson (PRB) e Cláudio Carvalho (PT), ambos teriam que renunciar a primeira suplência em favor do segundo suplente. Estes assumiriam a titularidade da primeira suplência e quem sabe, com o desenrolar dos fatos, assumiriam a titularidade do mandato de deputado estadual.
Sucessão
A operação Termópilas alterou completamente o quadro sucessório da prefeitura de Porto velho, tirando da disputa os deputados estaduais Zequinha Araújo (PMDB), Epifânia Barbosa (PT) e Valter Aréujo (PTB).
Apadrinhados I
Não está fácil para o prefeito Roberto Sobrinho deslanchar os seus apadrinhados a sucessão municipal. Segundo a Operação Termópilas a deputada estadual Epifânia Barbosa (PT), que também é presidente estadual do PT, aparece num vídeo recebendo propina em troca de apoio incondicional a mesa diretora da ALE e votar contra as matérias de interesse do governo.
Apadrinhados II
O “plano B” do prefeito Roberto Sobrinho (PT) seria apostar no nome do vereador petista Cláudio Carvalho. Mais o que pesa contra esse é a forte ligação que possui com as empresas de ônibus, estas detém o monopólio das linhas da capital. Além de carregar nas costas a responsabilidade do atraso nas obras de água e esgoto da capital, por ter feito denúncias infundadas.
BB
É de arrepiar! Segundo investigações da Operação Termópilas, funcionários do Banco do Brasil que estão presos, estavam envolvidos no esquema da quadrilha criminosa. Tais funcionários são acusados de favorecer transações bancárias, fornecer informações sigilosas, facilidades em saques e transações financeiras.

O Bolo de Aniversário com sabor da felicidade

           
           Não teve melhor, fazer de um simples domingo, um dia especial. Comemorar o meu aniversário antecipadamente em família. Supersticiosos apostam que quando se comemora antes da data certa, o aniversariante morre no dia. Sendo assim, vou rezar a Deus para que nada me aconteça até a meia noite do dia 23 de novembro, livrando-me das superstições dos mais antigos.  Tal antecipação foi em decorrência das curtas férias do meu Tio Manoel Lins e minha Tia Deodata Lins na nossa Rondônia e da data prevista de retorno a João Pessoa – Paraíba, antes do dia do meu aniversário.
            No domingo (20/11/2011) tive a oportunidade de ser convidado para um almoço em família oferecido pela minha prima Mércia, seu esposo Cavalcanti, seus filhos Ivo e Luiza. Além de compartilhar bons momentos com tio Neto (Manoel Lins) e minha tia Déo (Deodata). Meus convidados não poderiam faltar, meu filho Luíz Renato e meu sobrinho Neto Lins. O dia se tornou especial para todos, foram piadas, lembranças da tradicional festa da família Lins, histórias pitorescas de Serra Redonda e tantos outros assuntos, que merecem ser guardados na memória, para depois virar brincadeira com as letras.
            Tio Neto o tempo todo chamando o sobrinho mais novo, Luíz Renato, de “coronelzinho” em alusão ao meu pai, Severino Lins de Albuquerque. Este em vida e na profissão chegou ao posto mais alto da Briosa Polícia Militar do Estado da Paraíba, Coronel e Comandante Geral. No almoço, os conselhos dos mais sábios também não faltaram aos mais novos, o tempo todo, tanto tio Neto como tia Deó, reforçavam a necessidade da continuidade dos estudos, com palavras de incentivo e gestos de carinhos.
            Em meio ao almoço, tivemos o prazer de receber a visita do nosso amigo Dirceu Fernandes e logo mais chegou meu amigo irmão, Beto Anísio, ambos vieram se juntar a nós para papear, conversar e prosear neste domingo tão especial. As histórias da família, as lembranças de vovó Cícera Gonçalves de Albuquerque, do vovô Anisberto Lins de Albuquerque e do meu pai, Severino Lins, bem como a história de vida e profissional do meu tio Neto, também foram compartilhadas com os nossos visitantes.
            Realmente, esse dia foi um dia que se tornou especial, as conversam fluía, a prosa surgia e o papo rendia. Todos os presentes ainda puderam ter uma aula com tio Neto sobre saúde pública, gestão de recursos e refletir sobre a crise no Sistema Único de Saúde (SUS), presente em muitas localidades pelo país afora. Afinal, os Municípios e Estados, não dão conta de fazer a lição de casa sozinhos, precisam do amparo do governo Federal e de pessoas sérias a frente da gestão dos recursos. Tal lição veio de um auditor do SUS com vasta experiência no Estado da Paraíba.
            A conversa se foi indo, a tarde ficou curta, mais a lição ficou. Não a nada melhor na vida do que esta entre família e verdadeiros amigos para se comemorar datas especiais. As demonstrações de afeto e carinho acontecem espontaneamente e bem que eu queria ser o mês todo, quem sabe o ano todo, para sempre estarmos recebendo manifestações de carinho e apreço.
            Mais o melhor presente eu ganhei nesses seis anos de vida vivendo em Rondônia, pois muito me ensinou e de várias lições pude aprender. Assim, devo lembrar a todos, que amanhã pode ser tarde demais para se pedir desculpas, tarde demais para tentar, tarde demais para acreditar. Eu e a minha mania de achar que os outros fariam tudo por mim, aquilo que eu faria por eles. Entenda que, ninguém consegue ser feliz passando por cima da felicidade dos outros e concluo dizendo, entre ser feliz e ter razão? Hoje, eu prefiro ser feliz!

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

A UNIR do Fantástico: Jornalismo ou propaganda política eleitoral?


             O Estado de Rondônia figurou na mídia nacional de forma negativa no final de semana passado, foi como se estivéssemos vivendo um abril despedaçado ao aparecer nos principais noticiários da mídia nacional. Pois, além das notícias da Operação Termópilas que levou para cadeia o presidente da Assembléia Legislativa, deputado estadual Valter Araújo (PTB), mais outros sete deputados estaduais acusados de pertencer a um esquema de receber propinas, funcionários do governo estadual por tráfico de influência e servidores federais do Banco do Brasil por quebra de sigilo bancário. O programa de maior audiência da Rede Globo nas noites de domingo, mostrou uma "matéria" sobre a Universidade Federal de Rondônia (UNIR).
            Não é questão se posicionar a favor de A ou B, e nem muito menos, não se trata de fazer a defesa do atual reitor Januário Amaral ou de exaltar o movimento grevista que é legitimo em suas reivindicações. A questão é: Foi jornalismo ou programa político eleitoral? Diante da tal pergunta levantada, algumas coisas precisam ficar claras! Achei incríveis as cenas levadas ao ar do programa dominical Fantástico da Rede Globo abordando a greve de professores e alunos da UNIR, pois todos os docentes entrevistados são do grupo de oposição ao Reitor. Será que a globo não sabia disso? Por que não entrevistou os dois lados?
            Conhecendo bem a realidade dos municípios de Nova Mamoré e Guajará-Mirim, bem como da própria UNIR, a final, morei dois anos na fronteira e nunca deixei de manter os laços afetivos com o lugar, além é claro, de ser professor colaborador do campus da Unir de Guajará-Mirim. Assim, posso afirmar que não houve desvio de recursos na construção do Hotel Escola que está em Guajará-Mirim mostrado nas cenas da matéria jornalística. Ao contrário do que disse o Fantástico, ele não chegou a ser usado, pois é sabido, que o Ministério da Educação não autorizou a continuação do Curso de Administração em Gestão de Ecoturismo. Sendo assim, o não uso ocorreu por falta de planejamento do próprio Ministério da Educação e não por falta de alunos como foi vinculado. 


            Então é preciso reafirmar que houve maldade na matéria, especulação sem fundamentação dos fatos reais, pois a obra mostrada rapidamente no campus de Guajará-Mirim está em andamento, e não parada como insinuou a matéria. Pois recentemente, o próprio Instituto Federal de Rondônia (IFRO), quis fazer daquelas instalações, um Campus da instituição que é voltada para o ensino tecnológico, e mais uma vez, a burocracia do Ministério da Educação atrapalhou o processo e emperrou a coisa de andar normalmente, deixando de beneficiar quem vive na fronteira e deseja ter uma oportunidade de acesso ao ensino de qualidade e profissionalização, para então ingressar no mercado de trabalho.
            O absurdo maior na matéria ficou pela questão de explorar a imagem do "companheiro" do professor Januário. Uma forma de expor a vida pessoal do Reitor de forma preconceituosa, lavá-lo ao vexame e a exposição pública de sua intimidade. A Rede Globo que leva ao ar em seu horário nobre, ou seja, nos principais programas de audiências, o combate massivo aos atos de preconceitos impostos aos homossexuais, o que demonstrou na matéria jornalística do Fantástico expondo ao máximo a vida pessoal e intima do reitor, foi uma apologia a homofobia, ou seja, uma matéria jornalística cunho homofóbica. Entendam como quiser, mais entendo que foi uma apologia a homofobia e pronto! Indo de encontro ao que a Rede Globo prega em seus horários nobres de televisão.


             Pois chamo atenção para assistirem a matéria na internet e observarem que foi mostrada uma fotografia tirada num momento informal, onde propositalmente aparece o "companheiro" e ao fundo, quase como uma sombra, o professor Januário Amaral, que hora, exerce o cargo de reitor da Universidade de Rondônia, que a pouco mais de um ano, foi eleito com esmagadora votação de alunos, servidores e professores da UNIR. Assim, digo que não podemos ser ingênuos! Explorou-se sim, a homossexualidade do reitor como forma de coação e assédio. Quem não percebeu isso?
            Não entendo porque não mostraram as dificuldades da Unir enquanto Universidade interiorizada, que vem sendo sucateada por um governo Neoliberal disfarçado de socialista? Lembrando, que não é só a UNIR que esta vivendo a falta de recursos por parte do governo Federal, mais muitas outras espalhadas pelo país. Enfim, na minha experiência com propaganda eleitoral, vejo que as eleições de 2012 já estão fazendo efeito. Essa reportagem é a prova disso.  Não existe nenhuma diferença entre essa "matéria" e um programa político durante uma campanha. Aliás, o Fantástico encerra a matéria com a fala de um religioso pedindo apuração dos fatos. Seria então, o dualismo entre um reitor "corrupto" e homossexual e um distinto religioso, velhinho e já frágil de saúde (inconscientemente o eleitor se solidariza ao entrevistado) em pleno horário nobre na televisão? Esse bom velhinho esqueceu-se de enxergar que a sua própria instituição religiosa, em sua grande maioria, tem religiosos em posição semelhante ao longo de sua história e não podemos fechar os olhos pra tal fato, o questionamento deve sim, sempre existir.


            Pena que poucos estão imunes à alienação provocada pela TV! Ainda bem que existe a universidade pra combater isso! É evidente que o Reitor poderia logo no início do movimento grevista ter se afastado para não atrapalhar todas as investigações, apurações, etc. Mais pêra aí, se afastar para quem assumir? É outra interrogação que devemos fazer à final, estamos tratando da maior instituição de ensino superior do Estado de Rondônia. Mais também não devemos ser incoerentes, pois, se comprovado todas as denúncias, o reitor Januário Amaral deve ser sim, responsabilizado e penalizado pelos possíveis atos que tenha lesado a instituição de ensino em questão. Mas o que deve ser questionado aqui é: por que a principal emissora do país usa da sua audiência para atender determinadas demandas políticas de grupos que só tem o interesse de chegar ao poder? Nesse sentido, eu digo que não podemos esquecer-nos da edição do Jornal Nacional na campanha do Collor em 1989. O resultado nós o conhecemos num passado bem próximo, é só olhar para traz e fazer uma retrospectiva histórica!

domingo, 20 de novembro de 2011

Coluna Falando Sério

Nos últimos anos, a política rondoniense vem apresentando uma dinâmica muito rápida em sua evolução, se tornando um exemplo de casos clássicos na sua História. E quem tem contribuído fortemente para tal fato, são os meios de comunicação, principalmente, o jornalismo em rede, ou seja, a internet e as redes sociais como principal ferramenta de divulgação dos fatos em tempo real. O Estado de Rondônia não tinha até então na sua história política, renovado de forma tão rápida as suas lideranças políticas ou mesmo permitir surgir novos blocos políticos como agora na atualidade.
Cenário I
Nas eleições de 2002, o então ex-prefeito de Rolim de Moura, Ivo Cassol, vendeu a imagem de bom administrador e teve seu projeto consolidado nas urnas pelo povo, sendo eleito governador do Estado, derrotando o então candidato a reeleição ao governo, José de Abreu Bianco, considerado por muitos, uma raposa na política.
Cenário II
O então governador Ivo Cassol, enfrentou uma crise de convivência com a Assembléia Legislativa no seu primeiro governo, mais conseguiu a proeza de ser reeleito em 2006. Político personalista, centralizou as ações de governo em si, tido como mão-de-ferro e sem freio na língua. O seu estilo de governo se assemelhou muito ao Imperador persa Dário I.
Cenário III
Vieram as eleições de 2010, o grupo político liderado pelo então senador Ivo Cassol (PP), sem perfil partidário e ideológico, deixa o governo e elege-se senador, quebrando mais um tabu político no Estado. Mais não consegue eleger o seu sucessor, João Cahúlla (PPS).
Palco I
No palco, um novo personagem surge no cenário, ou seja, o ex-prefeito de Ariquemes Confúcio Moura (PMDB), este nunca atropelou o processo político, soube esperar a sua vez. Como parlamentar, realizou um mandato atuante, logo se tornou administrador público experimentado e que deu certo, sendo então eleito governador em 2010. Por conta de sua história, foi consagrado pelo povo nas urnas.
Palco II
Todos sabem que o PT e o PMDB, por si só, representa cada qual, um bloco político. Em outro campo temos um bloco liderado pelo então senador Ivo Cassol (PP), sendo apenas hospedeiro de partidos políticos. Ainda existe uma frágil aliança entre o prefeito Bianco (DEM) e o senador Acir Gurgacz (PDT).
Palco III
Na atualidade, outro bloco vem surgindo, este liderado pelo ex-senador Expedito Júnior (PSDB), que trouxe para seu arco de aliança o ex-deputado federal Miguel de Souza (PR) e agora, numa verdadeira operação desmanche do grupo político Cassol, aproximou para o ninho tucano, o ex-deputado federal Lindomar Garçon (PV) e o deputado federal Moreira Mendes (PSD).
Jogo
Assim, todos sabem que as eleições estaduais de 2014 passam pelas eleições de 2012. Diante de tal leitura, agora é esperar como as pedras no tabuleiro do jogo político vão se movimentar e quem sairá vitorioso nas futuras partidas, tendo o povo como grandes árbitros.
Declarou-se
Capitaneado pelos históricos do PMDB, o diretor do DEOSP, Abelardo Castro, deu uma entrevista numa rádio da capital, declarando-se pré-candidato a prefeito pelo partido governista a sucessão do prefeito Roberto Sobrinho (PT).
Aliança
O pré-candidato Abelardo Castro (PMDB), neófito em política, vai tentar construir uma aliança como o Bloco político liderado pelo ex-senador Expedito Júnior (PSDB) e disse ainda que numa possível aliança, gostaria de ter o ex-deputado federal Lindomar Garçon (PV) na chapa como candidato a vice-prefeito.
Páreo
Outro que já esta no páreo a sucessão do prefeito Roberto Sobrinho (PT) é o vereador Mário Sérgio (PMN). Este será lançado pré-candidato a prefeito do seu partido no próximo Encontro Regional do PMN, marcado para acontecer no próximo dia 25 de novembro, a partir das 09h da manhã no SINDPROF.
Termópilas I
Na manhã de sexta-feira (18/11), Porto Velho foi surpreendida com a Operação Termópilas desencadeada pela Polícia Federal para dar cumprimento a 71 mandados expedidos pelo Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia, sendo 10 de prisão preventiva, 04 de prisão temporária, 57 de busca e apreensão, além de ordens de sequestro de bens e valores, de suspensão de exercício de função pública e proibição de acessos.
Termópilas II
Segundo a Nota a Imprensa divulgada pela Polícia Federal, que segundo as provas do inquérito, diz que o grupo agia sob a liderança do presidente da Assembléia Legislativa do Estado de Rondônia, deputado estadual Valter Araújo (PTB) e praticava crimes no âmbito de algumas Secretarias de Estado.
Termópilas III
Ainda segundo a Polícia Federal, havia um esquema que loteava as licitações e contratos de prestação de serviços junto à administração pública estadual, mediante corrupção e tráfico de influência.
Passagem
Quem está de passagem pelo Estado, é o auditor do Sistema Único de Saúde –SUS do Estado da Paraíba, Manoel Lins e sua esposa Deodata. Ambos declararam estar encantados com o as belezas naturais de Rondônia e com suas potencialidades de desenvolvimento.

A Batalha de Termópilas: O homem não prevalecerá pela força



           Muitos não souberam fazer a leitura dado ao nome de operação desencadeada pela Polícia Federal na manhã de sexta-feira (18/11) que levou vários deputados, empresários, secretário de Estado e funcionários do governo a prisão ou a sede da Superintendência da Polícia Federal apenas para ser ouvido e liberado.

Passo de Termópilas - Grécia  

            Considero também infeliz a interpretação dada pela própria Nota Oficial da Polícia Federal sobre o nome escolhido da referida operação em alusão a Batalha de Termópilas, ou seja, um confronto travado entre espartanos e persas. Pois na verdade, o que a história nos relata, é que o Rei Leónidas, reuniu trezentos homens para enfrentar o colossal exército persa, e o local escolhido por nome de Termópilas, também não ajudou muito aos gregos. Estes últimos, mesmo sendo aniquilados na Batalha pelos persas, tiveram a proeza de retardar o avanço dos persas sobre a Grécia.]

Cena do Filme 300
                                                                       
            Na verdade, os gregos desde a antiguidade, preferem morrer como homens livres e não como escravos. Vejamos os fatos na atualidade com quem realmente começou o desencadeamento da atual crise política e econômica da Europa?  Na verdade, a Batalha de Termópilas, serviu para atrasar o avanço do Império Persa sobre o território grego, permitindo a salvação de Atenas e conseqüentemente, a nascente da Civilização Ocidental.

Cena do Filme 300
                                                                                      
            Assim, quando li a nota da Polícia Federal que veio com a seguinte afirmativa: “Agora, assim como os 300 de Esparta, 300 policiais federais, membros do Ministério Público, Judiciário e CGU combatem a criminalidade organizada para impedir o seu avanço sobre a democracia”. Sobre olhar meândrico, a leitura que faço sobre tal afirmativa procurando coerência com os fatos históricos, é que todos estes órgãos envolvidos têm meios de investigar e combater as mazelas geradas pela corrupção, só não dar para entender porque demoram tanto, quando enormes somas de recursos já foram desviadas e consumidas pelos malversadores do dinheiro público.

Cena do Filme 300

            Agora mais do que nunca, reafirmo que a esperança não morreu! Sempre disse aos mais próximos sobre o caminho que nos levaria a tão sonhada Nova Rondônia desenhada pelo governador Confúcio Moura. Pena que muitos não conseguem enxergar, por estarem mergulhados num profundo abismo da ignorância. Mais do que nunca, a Nova Rondônia, recebeu as primeiras tintas no seu novo desenho, novos personagens entraram em cena, seus figurinos representado o dialogo, a paciência, a compreensão, a postura, a disciplina, o cuidar, o rigor, o zelar pelo bem público, essa é a Nova Rondônia. Assim, devemos despertar em nós todos os dias o sentimento do Rei Leônidas, se juntar a trezentos, para não se render e nem recuar na luta contra a construção de uma Nova Rondônia.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Tem coisa melhor que almoço com conversa e prosa?


            Existem dias em nossas vidas que tem tudo para ser um dia especial, mais ainda aparecem alguns fatos que o tenta estragá-lo. Não importa que seja aborrecimentos oriundos do passado, com decepções de algumas palavras proferidas por um grande amigo, por mais que se afirme como tal. Mais mesmo assim, temos que continuar a fazer de todos os nossos dias, um dia ao máximo de especial.
            Temos que ter consciência do quanto à vida é passageira, é preciso pensar duas vezes, antes de jogar fora as oportunidades que temos de estarmos juntos de quem amamos ou de quem nos faz feliz. Assim, o dia se tornou especial para mim, porque tive a chance de fazer outras pessoas felizes.
            Estando de passagem por Porto Velho, meu tio por parte de pai, Manoel Lins e sua esposa Deodata, a quem desde pequeno sempre a chamei carinhosamente de tia. Não poderia deixar de reservar-me a momentos felizes e desfrutar da boa companhia familiar, mesmo sendo por poucas horas.
            Gosto de chamá-los de tio Neto e tia Deó, depois de muito tempo, ambos decidiram tirar umas férias bem curta para visitar minha prima Mércia, seu genro Cavalcanti e os netos que agora são também, rondonienses de coração. Na agenda concorrida, tive a oportunidades de tê-los para o almoço no aconchego do Restaurante Paroca, lugar de muito requinte e bom gosto, além de possuir umas das melhores culinária regional da nossa Rondônia.
            Assunto não faltou para nossas conversas e prosa durante o almoço, falamos das recordações de criança, das belezas naturais de Rondônia, sobre a vida e a morte, política e saúde pública, religião e fé, casamento, depressão, relacionamento e suas dificuldades, família, comidas típicas da região, das oportunidades de negócio e emprego, de concursos públicos, Nova Mamoré, Guajará-Mirim, Guayaramiyn e não poderia deixar de se falar da nossa pequenina Serra Redonda, berço natural do nosso ramo familiar.
            No cardápio, pedi que nos servisse uma moqueca de dourado a baiana, prato que foi muito apreciado por tia Deó, pela minha prima Mércia e seus filhos. Eu, Cavalcanti e tio Neto, degustamos a carne de sol, e claro, não poderia faltar, a picanha genuinamente do nosso boi verde. Ao final, pelo movimento da casa, não tinha mais sobremesas disponíveis no Buffet, ficando em minha memória, as deliciosas tortas de chocolates com cereja que tia Deó fazia, para servir de sobremesa nos almoços de domingo em família. Assim, mesmo com água na boca, nos contentamos apenas com o café, conversa e prosa.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Coluna Falando Sério

Passado o fim dos prazos eleitorais para filiação, transferência de domicilio eleitoral e troca de partido dos que pretende disputar as eleições municipais de 2012, grupos políticos já começaram movimentar as peças no tabuleiro do jogo político. Para surpresa de muitos, o senador Ivo Cassol (PP) e o ex-senador Expedito Júnior (PSDB), que antes eram amigos e depois viraram inimigos, andam alardeando que vão eleger o maior número de prefeitos, vice-prefeitos e vereadores no Estado. Enquanto os dois caciques se engalfiam no tabuleiro, quem assisti ao jogo com as barbas de molho é o senador Valdir Raupp (PMDB), este sabe à hora certa de entrar no jogo, construir alianças e sair novamente fortalecido nas próximas eleições municipais.

Dobradinha

O ex-senador Expedito Júnior (PSDB) e o deputado Moreira Mendes (PSD) estavam almoçando no restaurante Butique Gelada. Na pauta, eleições municipais de 2012 e 2014. Não se espante, pois no futuro próximo, ambos poderão vir colados numa dobradinha para o governo e senado.

Capixaba I

Em conversa com o deputado federal Nilton Capixaba (PTB), este revelou que seu foco é a sua reeleição, para isso, estaria intensificando seu trabalho nas bases do seu partido, prevendo eleger o máximo de vereadores, vice-prefeitos e prefeitos nas próximas eleições municipais.

Capixaba II

O deputado Nilton não descartou a possibilidade do deputado Valter Araújo (PTB) disputar da prefeitura de Porto Velho ou vir ao senado em 2014, numa possível dobradinha com o senador Ivo Cassol (PP), este último disputaria o governo.

Palavra

O vereador Mário Sérgio (PMN), pré-candidato a prefeito da capital, disse que é homem de palavra, por isso estaria ainda respondendo pela pasta da EMDUR, devido ao compromisso assumido com o prefeito Roberto Sobrinho (PT) de ficar até fevereiro do próximo ano.

Encontro I

O nome de Mário Sérgio será lançado oficialmente pré-candidato a prefeito do seu partido no próximo Encontro Regional do PMN, marcado para acontecer no próximo dia 25 de novembro, a partir das 09h da manhã no SINDPROF.

Encontro II

No encontro regional do PMN, o vereador Mário Sérgio será ungido pré-candidato a prefeito da capital pelo presidente estadual da legenda Sandro Moret (sandálias sevem), ainda receberá o apoio do deputado estadual Lorival Amorim (PMN) e o aval da Drª. Telma Ribeiro da Executiva Nacional.

Reunião I

O presidente municipal do PMDB de Porto Velho, Dirceu Fernandes, distribuiu convite as lideranças do partido para participar de uma reunião nesta quarta-feira (16/11) na sede do Diretório Regional.

Reunião II

Na pauta do PMDB da capital, consta discussão para as eleições municipais. É preciso mesmo, afinal, o seu principal postulante a prefeito da capital, o Deputado estadual Zequinha Araújo (PMDB), tem sido alvo de especulações sobre uma fita gravada que o mostra “colocando dinheiro na cueca”.

Esclarecer

Bem que o deputado estadual Zequinha Araújo (PMDB) já deveria dar a cara a tapa e acabar com tais especulações. Pois mesmo se for verdade, porque só agora os adversários estariam divulgando tal fita?

Líder

Mesmo com tais boatos, o deputado estadual Zequinha Araújo (PMDB), continua líder nas intenções de voto para prefeito da capital. E se as eleições fossem hoje, a parada seria decidida já no primeiro turno.

Trabalho

O deputado estadual Zequinha Araújo (PMDB) tem grande serviço prestado à população carente, através de suas fundações de assistência social. Fato este que causa muita inveja aos seus adversários políticos, que deveriam falar menos e trabalhar mais pelos menos favorecidos.

Protelando

O senado federal evitando criar uma crise com o TSE e STF, logo deram posse a Cássio Cunha Lima (PSDB) como senador. A Câmara de Deputados Federais vai na contramão do exemplo, pois estariam protelando a posse do deputado federal Marcos Rogério (PDT).

Manobra

Tal manobra da Câmara de Deputados para não dar a posse de imediato como já determinou o TSE e o STF a Marcos Rogério (PDT), seria para favorecer o ex-deputado federal Lindomar Garçon (PV), este vem garantindo a colocação de suas emendas pessoais para o próximo orçamento.

Azeitado I

Segundo o vereador Eduardo Rodrigues (PV), que também é presidente municipal do Partido Verde na capital, revelou que as relações políticas dos quatro vereadores da capital andam azeitadas com o ex-deputado federal Lindomar Garçon, presidente estadual dos verdinhos.

Azeitado II

Tal esquente das lideranças do PV da capital com o ex-deputado Garçon, se deu por conta do fechamento da aliança com o PSDB e PR sem consulta prévia aos quatro vereadores, membros do Diretório do partido e filiados. Para quem conhece Garçon na política, não é grande surpresa tal comportamento!

Esperteza

Ainda em Campanha, perguntei ao então candidato ao governo Confúcio Moura (PMDB) no campo de aviação em Cerejeiras, qual seria a maior esperteza de um homem? Este de pronto me respondeu: que a maior esperteza de um homem era ser honesto!

A marcha pela nova República


            Todos nós sabemos que o dia 15 de novembro é reservado no calendário brasileiro como o dia da proclamação da República. Essa data marca um período de transição entre a monarquia frágil e dependente da metrópole portuguesa, esta que se encontrava em decadência no cenário geopolítico da Europa devido ao seu empobrecimento.
            Os tempos se passaram e a nossa República brasileira já contracenou em muitos cenários diferentes. Tivemos no palco central das discussões a elite burguesa nacional num primeiro momento, depois vieram os militares, manifestou-se a classe média e agora, como pano de fundo, o povo que se agonia, por estarem sendo esmagado e perplexo com a corrupção enraizada em todas as esferas das intuições públicas. Esses estão tentando indignar-se com o desgaste ético e moral que vive a República.
            Mais um feriado do nosso calendário foi marcado por protestos contra corrupção, a mobilização veio das redes sociais. O movimento se reuniu, foram as ruas pedindo o fim da corrupção e quem sabe, a “reproclamação” da nossa República ou uma revolução cultural de verdade? É preciso sim, tentar criar um ambiente, uma atmosfera favorável ao resgate dos valores éticos e morais da nossa sociedade, valorizando o Ser Humano, ou seja, o nosso principal capital social tem que passar por uma profunda transformação cultural.
            O Brasil passa por um período de consolidação da democracia. A nossa economia produtiva fez do nosso país uma potência regional, mais o principal foi esquecido, a emancipação econômica, social e cultural do nosso povo. É preciso ter coragem, para assumir responsabilidades, enfrentar o desgaste da teia social, que antes, apenas atingia a classe política. Mais na atualidade, lamentavelmente se constata o enraizamento nas esferas dos três poderes.
            É preciso lembrar que quando se proclamou a República e depois a transformou em Nova República, sempre se buscou o fortalecimento dos três poderes, ou seja, do poder Executivo, Legislativo e Judiciário. Tais poderes continuam frágeis, tanto no Brasil, como nos países em vias de desenvolvimento ou que ainda vivem em letargia econômica. As mudanças verdadeiras só vão acontecer, quando se emancipar o povo, promover o acesso ao conhecimento e garantir a liberdade econômica.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

A flexibilização do ensino médio


           Não é fácil pensar soluções em curto prazo para sanar os problemas da educação brasileira, principalmente quando se leva em conta a dimensão do nosso território, a quantidade de municípios e o crescimento populacional nas últimas décadas. O Brasil já deu um grande salto quando universalizou o ensino fundamental e elevou para nove anos a permanência do aluno em sala de aula na educação básica, uma forma de reforçar a aprendizagem, apesar de toda a deficiência ainda existente e os baixos índices de desempenho individual de cada aluno.
            O problema maior surge no ensino médio, pois segundos dados do próprio Ministério da Educação, só a metade dos alunos matriculados consegue o diploma de conclusão de curso. São números preocupantes para uma geração, que dela será exigida a profissionalização e qualificação da sua mão-obra, para então, se inserir no mercado de trabalho que cada vez mais, se torna mais competitivo.
            É preciso repensar os componentes curriculares do ensino médio, afinal, são mais de 10 disciplinas que o aluno tem que dar conta na sala de aula, ou seja, a generalização tomou conta dessa fase de estudo. Um obstáculo para jovens que estão numa faixa etária de idade de 15 a 18 anos e a grande maioria já pensa a carreira profissional que pretende buscar. Assim, é preciso valorizar a decisão individual do interesse afim do aluno, buscar a construção da flexibilização do ensino médio, não que seja preciso voltar ao ensino clássico, mais que traga mudanças que facilitem e oportunize a chegada desse aluno ao mercado de trabalho como um especialista.
            A possível mudança pode trazer resultados positivos para diminuir a evasão escolar, bem como a retenção ou dependência. Tal mudança no componente curricular poderia reforçar o estudo de português, da matemática e os fundamentos das ciências naturais. Quanto às demais matérias, seriam preenchidas de acordo com a escolha individual do aluno, ou seja, estudar as disciplinas afins que a sua profissão escolhida requer, ou seja, quem deseja ser Bacharel em Direito, estudaria em sua grade, as disciplinas de filosofia, sociologia, história e geografia, além é claro, da língua inglesa e hispânica, esta última por conta da integração econômica regional, ou seja, previsto pelo MERCOSUL.
            E por fim, também é preciso investir mais na educação, garantir a formação continuada do professor, bem como a sua valorização profissional. É preciso fazer muito mais pela educação, democratizar o ensino de verdade, ser vigilante com os recursos destinados, está atento a sua boa aplicação, pois um país rico, só se torna rico, quando se tem um povo forte em conhecimento, ou seja, o maior capital social é construindo e alicerçado no saber, na confiança, no respeito e na solidariedade.