terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Devemos praticar a solidariedade


             Muita gente enrola a língua para pronunciar a palavra solidariedade, mais hoje, mesmo com o cansaço mental que esse blogueiro vem passando pelo excesso de leitura, a divisão de tempo com trabalho e raciocínio político, não poderia esquivar-me de dedicar no dia de hoje, 31 de janeiro, data essa do calendário que se comemora o dia da solidariedade.
         A minha convivência com a solidariedade começou quando vi a primeira propaganda eleitoral em cadeia nacional de rádio e TV, levando a mensagem do Partido da Solidariedade Nacional (PSN), que mais tarde se tornaria do Partido Humanista da Solidariedade, o nosso PHS, o partido da família e que tem como mascote a abelhinha, essa segurando a bandeirinha com o número 31.
         Aqui, poderia invocar os ensinamentos de Fernando Bastos de Ávila contido na sua obra Solidarismo: Alternativa para a Globalização, uma obra inspiradora a quem deseja seguir engajado na luta em favor de um mundo mais humano e solidário.
         Praticar a solidariedade é praticar a cooperação, promover atos voluntários, não importando as circunstâncias, mais fazer o bem, dar um bom testemunho das pessoas, oferecer consolo, estender a mão amiga e sempre ofertar o que a de melhor no interior de cada ser humano.
         Na verdade, desde os nossos antepassados mais remotos até os dias atuais, todos sabem da importância da palavra solidariedade, bem como de praticá-la com o nosso próximo. O maior exemplo vem dos povos mais primitivos ou mesmo das populações indígenas ao repartir tarefas e viver em harmonia.
         Com a evolução da sociedade e os impactos da modernidade, sentimos que a prática do bem comum tem sido esquecida por muitos homens, pois na verdade, é preciso refletir sobre os ensinamentos dos nossos antepassados que viviam praticando a solidariedade uns com os outros.
         Assim, já dia Bezerra de Menezes: “Solidários, seremos união. Separados uns dos outros seremos pontos de vista. Juntos, alcançaremos a realização de nossos propósitos. Que fique essa reflexão em nossas mentes!

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Coluna Falando Sério

O governador Confúcio Moura (PMDB) fez um desabafo essa semana em seu Blog afirmando que recebeu a saúde do Estado num formato de caos.  Este afirmou que foi “Bom porque a partir do caos se pode reconstruir um modelo novo. Reinventar. Desconstruir para refazer. Ruim porque é péssimo receber tanta degradação e nem saber por onde começar. Certo que recebi assim, é a dura realidade, é o fato concreto e é nele que devo mergulhar fundo. O mais importante – com certeza absoluta, tudo irá melhorar a cada dia que passar. Porque não é possível não melhorar, quando se tem fé inabalável neste melhoria e se sabe como fazer, cada passo a seguir terá meta de onde queremos chegar”. Assim, o Governador Confúcio anunciou que O PLANO ESTRATÉGICO DA SAÚDE está pronto e foi estudado e elaborado pela Fundação Oswaldo Cruz. Agora é tirar do papel e fazer com que o secretário e adjunto, gerentes regionais de saúde, e unidades prestadoras de serviços façam valer o que nele está escrito.

Ansiedade

Quem está com enorme ansiedade para ver a saúde dar certo é a população carente, está é quem vem mais padecendo por atendimento médico.

Lição

Agora quem tem que fazer sua parte é os prefeitos do interior e da capital, pois estes deixam de fazer o dever de casa no quesito saúde e utiliza-se da política da ambulância, empurrando para o Estado a missão de atender as pequenas, médias e altas complexidades da saúde.

Vigilantes

O Ministério Público deveria está bastante vigilante quanto aos recursos da saúde nos municípios. Pois muitos prefeitos vêm se utilizando dos recursos para fazerem caixa dois através de compras superfaturadas.

Sumiço

São muitos casos que os remédios são comprados com prazos de validade próximos a vencer, noutros casos não são entregues e nem colocado a disposição da população nas farmácias dos postinhos de saúde.

Consulta

O deputado estadual Hermínio Coelho (PSD) e presidente da ALE encaminhou uma consulta ao TRE – RO para dar posse ao suplente, o ex-deputado Kaká Mendonça, (PTB) no lugar do deputado Valter Araújo (PTB) que se encontra foragido.

Recuo

Com as recém inaugurações e poucos acertos administrativos, quem cresceu um pouquinho nas intenções de voto a reeleição foi o prefeito Zé Rover (PP) e o deputado estadual Luizinho Goebel (PV) demonstrou sinais de recuo numa possível disputa a prefeitura de Vilhena.

Corrupção

A Polícia Civil e Militar prenderam em flagrante o Técnico Ambiental da Sedam, Samuel O.S. e o Engenheiro Florestal, Neilson S.A., ambos vinha tentando extorquir propinas dos madeireiros de Cujubim.

Viveiros

O Governador Confúcio Moura (PMDB) lançou essa semana à implantação de vários viveiros de mudas com o intuito de incentivar e apoiar bancos de germoplasma. Estes produzirão mudas de bananeiras tolerantes a doenças endêmicas como a “Sigatoga Negra”, abacaxi, açaí, pupunha, cacau, paricá ou bandarra, teca e entre outras tantas.

Desassoreamento

O novo Diretor Presidente da SOPH, Ricardo de Sá esteve reunido com o Superintendente da AHIMOC - Administração das Hidrovias da Amazônia Ocidental em Manaus, o Engenheiro Jorge Barroso. O ponto alto da reunião foi o desassoreamento da Hidrovia do Madeira, principalmente no trecho entre Porto Velho a Humaitá.

Acolhida

O superintendente da AHIMOC, Jorge Barroso acolheu a solicitação de Ricardo Sá e garantiu que estará dando ordem de serviço para o desassoreamento da Hidrovia do Madeira até o mês de junho próximo e, tal serviço está orçado num montante de aproximadamente R$ 12.500.000,00 (doze milhões e quinhentos mil reais).

Encontros

O secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Social (Sedes), Edson Vicente passou a semana em São Paulo cumprindo agenda junto a empresários do ramo de frigorifico no intuito de atrair mais investimentos para o Estado e fortalecer a atividade agropecuária.

Promessa

O Secretário de Planejamento George Alessandro apresentou no inicio da semana uma exposição técnica sobre o volume considerável de recursos disponíveis para saneamento básico. Este prometeu que Rondônia sairá do marco zero para números importantes no tocante a água e esgoto em várias cidades.

Oportunidade

A Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia (CAERD) firmou contrato no valor de R$ 1.163.563,20 com o Centro de Integração Empresa Escola (CIEE), visando à contratação de estagiários para atender a estatal.

Filiações

O TSE no início do mês cancelou automaticamente várias filiações em Rondônia por apresentaram dupla filiação partidária. Assim, quem deseja disputar as próximas eleições municipais e teve seu nome incluso na lista de dupla filiação, deve regularizar sua situação partidária junto aos diretórios municipais e estaduais dos partidos políticos até o próximo dia 31.

Estacionamento

A juíza Duilia Sgrott Reis deferiu como inconstitucional a Lei Estadual de n 2.493, que garantia aos usuários do Porto Velho Shopping a gratuidade no uso do estacionamento. No seu despacho, a juíza entendeu que houve invasão de competência do Poder Legislativo e a ALE não pode tratar de assuntos relacionados à União. 

domingo, 29 de janeiro de 2012

Eduardo Machado, o orgulho de uma criança!

Mário Fascio (PHS - Amapá) ao lado de Eduardo Machado (PHS - Goias)

    Faz dias que venho tentando encontrar as palavras certas para conceituar e homenagear um amigo que aprendi a admirar muito com o passar do tempo. Talvez ele nem saiba, mais sempre nas reuniões do PHS fico o observando de longe, pois devemos sempre ouvir e observar pessoas sabias e que nasceram para serem vencedoras.
         Nessa manhã de domingo divaguei nos meus pensamentos, me perguntando o que escrever para um amigo que tanto admiro, palavras, frases e parágrafos me faltavam. Então comecei formatar a minha mente os livros quando li na minha adolescência.     Portanto, logo me inspirei na obra famosa, O Pequeno Príncipe, escrito por Antoine de Saint-Exupéry, este em vida foi piloto de avião durante a Segunda Guerra Mundial e teve sua vida ceifada num sobrevôo de reconhecimento.
         Para recordar com mais precisão da história narrativa do livro, tive que navegar um pouco na internet, refrescar a memória, pois o exemplar que tinha na minha estante devo ter emprestado e não lembro a quem, coisas de quem empresta e nem pra si presta. Eu tinha lembranças que história começava com uma aventura vivida no deserto, depois que o avião sofre uma pane no meio do Saara e numa certa manhã, “o piloto é acordado pelo Pequeno Príncipe, que lhe pede: "Desenha-me um carneiro"? É aí que começa o relato das fantasias de uma criança como as outras, que questiona as coisas mais simples da vida com pureza e ingenuidade. O principezinho havia deixado seu pequeno planeta, onde vivia apenas com uma rosa vaidosa e orgulhosa. Em suas andanças pela Galáxia, conheceu uma série de personagens inusitados – talvez não tão inusitados para as crianças!”
         “Um rei pensava que todos eram seus súditos, apesar de não haver ninguém por perto. Um homem de negócios se dizia muito sério e ocupado, mas não tinha tempo para sonhar. Um bêbado bebia para esquecer a vergonha que sentia por beber. Um geógrafo se dizia sábio mas não sabia nada da geografia do seu próprio país.
         Assim, cada personagem mostra o quanto as “pessoas grandes” se preocupam com coisas inúteis e não dão valor ao que merece. Isso tudo pode ser traduzido por uma frase da raposa, personagem que ensina ao menino de cabelos dourados o segredo do amor: “Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos”.
         De acordo com a obra de Antoine de Saint-Exupéry, esse descreveu os adultos como pessoas incapazes de entender o sentido da vida, pois todos tinham deixado de ser a criança como foi um dia. Portanto, de compreender toda a sabedoria e inocência de uma criança.
         O Pequeno Príncipe nos leva a uma viagem cheia de personagens dos quais conseguimos descobrir o segredo do que é realmente importante na vida, ou seja, a profundas mudanças de valores que nos ensina sobre nossos equívocos em promover avaliações prematuras que fazemos das coisas, das pessoas que nos rodeiam e como esses julgamentos nos levam à solidão, por conta das nossas preocupações diárias, que faz de nós adultos com formas definitivas e nos leva a esquecer da criança que fomos um dia.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Mais agilidade ao aparato da Policia Civil e Militar, é possível?

Ensaio do Bloco Galo da Meia Noite - Porto Velho,RO

       Os ensaios de bandas e blocos da folia de rua em Porto Velho que antecede o carnaval já tiveram início. Esse blogueiro teve a disposição para comparecer em alguns, e o que viu, foi festejos de ruas pré-carnavalescos sem a presença da Polícia Militar, Bombeiros, Agentes de Trânsitos ou mesmo a contratação de seguranças privado para garantir a perfeita normalidade do evento.
         Quero entender com quem está a responsabilidade de garantir a total tranqüilidade ao nosso folião, ou se os dirigentes dos Blocos e Clubes carnavalescos estão sendo omisso em não pedir apoio aos órgãos de segurança do Estado e do Município, visando garantir a inibição de qualquer ação surpresa que venha provocar insegurança ao sucesso do evento.
         Em todos os lugares do Brasil nessa época estão acontecendo eventos pré-carnavalescos, citando apenas um exemplo, em todo Nordeste as cidades litorâneas estão promovendo seus festivais de verão e grandes aparatos de segurança foram montados para garantir o sucesso dos eventos, promovendo a tranqüilidade do cidadão e do turista participantes de tais festejos de rua que antecede o carnaval.
         Nos últimos dias observamos vários policiais militares relatando nas redes sociais, particularmente no Facebook a falta de viaturas abastecidas, quebradas ou sem pneus nos quartéis. O Centro de Operações (CIOP) sem sinal e pouco contingente do efetivo na rua, sobrecarregando os demais. Esse blogueiro continua sem entender a cúpula da segurança pública no nosso Estado da Cooperação, pois estão deixando beirar a segurança pública ao caos e, depois aparecer com uma fórmula mágica ou querem mesmo é queimar a imagem do Governador Confúcio Moura (PMDB) com a população.
         Interessante é que fatos semelhantes vinham acontecendo no Estado da Paraíba, ou seja, a área da segurança pública vinha segurando o freio de mão de ações concretas que melhorasse a segurança pública no Estado. Fato tal estava apenas contribuindo para elevar os índices de violência no Estado da Paraíba e consequentemente, também aumentando o desgaste do governador Ricardo Coutinho (PSB) junto à população paraibana.
         Assim, esse blogueiro ao ler a Coluna do nosso amigo Jornalista de longas datas Giovanni Meireles (www.pbagora.com.br), ficou estupefato, quando ele relata que “a edição desta 4ª feira (25/01/2012) do Diário Oficial do Estado da Paraíba, trouxe atos assinados pelo governador Ricardo Coutinho (PSB), exonerando todos os comandantes de batalhões e demais cargos de chefia na Polícia Militar, nomeando também seus substitutos e trocando vários delegados de suas respectivas funções operacionais. Este rodízio geral foi decretado pelo governador no sentido de dar mais agilidade ao aparato policial, tanto na esfera dos quartéis da PM, quanto no âmbito da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social”.

Ricardo Coutinho (PSB), na foto acima ao lado do comandante-geral coronel Euller Chaves, do Vice-Governador Rómulo Gouveia e do secretário de Segurança, delegado da Polícia Federal Cláudio Lima, entre outras autoridades

         Resumindo, esse Blogueiro, mais uma vez aposta nos bons exemplos de outras medidas administrativas a serem seguido pelas bandas de cá, principalmente na área da segurança pública do nosso Estado, visando garantir tranqüilidade e paz ao contribuinte.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Porto Velho, a capital dos desafios



            Nesta terça-feira (24/01/2012) que a cidade de Porto Velho completa 97 anos de existência, passei o dia conversando com populares sobre o que achava do lugar, como estava vendo a nossa sua cidade e o que desejavam ver acontecer para melhorar a vida da população.
         Fui procurar tais informações com alguns moradores mais antigos, estes que ajudaram a escrever os capítulos da história da cidade com suor e dedicação. Muitos nem sabia que a nossa capital dos desafios já beirava meio milhão de habitantes, mais sabem que a ainda muito por fazer.
         Foram longas conversas, muitas histórias e causos sobre a cidade que nasceu na beira do rio em direção a floresta. Cidade que já nasceu com vocação para o comércio e até os dias de hoje, a sua principal atividade econômica predominante é o setor de serviços, empregando mais 80% da população economicamente ativa.
         A cidade que surgiu das águas com a construção do Porto Novo para cumprir a missão do Tratado de Petrópolis, mais que na boca do povo a época, continuaria a se chamar Porto Velho e assim ficou. Na sua paisagem se desenhou a Estrada de Ferro Madeira Mamoré, até hoje exercer o papel principal como personagem de muitos contos e prosas, inspirando homens e mulheres apaixonados por contar seus causos.
         Assim, segue a história e o compromisso da geração atual com a geração futura, de somar forças e procurar com esforços fazer da nossa cidade um lugar melhor de se viver, com bem estar e qualidade de vida, para isso ser possível, é preciso o sonho ser sonhado junto, fazendo da esperança a realidade, da realidade o prático, do prático o melhor, por isso, REAJA PORTO VELHO, levante as mãos para o grande salto que te espera! Pois, não basta prometer, tem que realizar!

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Coluna Falando Sério

À medida que os depoimentos dos envolvidos na Operação Termópilas vãos sendo concedidos e os meios de comunicação os tornando público. Demonstra um esquema de corrupção assustador nas entranhas do poder. Tal jogo de interesses privados se misturando com o público, faz com que quer o cidadão se sinta incapaz diante da morosidade da justiça. Também se pergunta se os demais deputados estaduais terão coragem expurgar os pares envolvidos no esquema de corrupção envolvendo verbas da saúde e de alimentos aos presos do sistema carcerário estadual. Assim, passada a tempestade, o maior desafio do Governador Confúcio Moura (PMDB) para este ano eleitoral é conseguir novamente voltar a reescrever os capítulos da Nova Rondônia, ou seja, atrair novos investimentos que garante a criação de emprego e renda para quem mora nas grandes cidades, promover maciços investimentos na educação, tecnologia, ensino superior e profissionalizante, saúde, segurança, habitação, esporte, cultura, meio ambiente, infra-estrutura e o resgate dos povos que habitam a fronteira.

Companheirada

A deputada Epifânia Barbosa, afilhada política do prefeito Roberto Sobrinho, ambos do PT, foi formalmente acusada pela Policia Federal essa semana pelo crime de corrupção passiva. Saldo da Operação Termópilas.

Bombástico

O depoimento bombástico na Polícia Federal do envolvido Rafael Santos na Operação Termópilas, confirmou todas as acusações dos envolvidos e delatou como funcionava o esquema de pagamento de propinas.

Presidente

O senador Valdir Raupp (PMDB) vem construindo um cenário favorável para se tornar presidente do Senado Federal com as bênçãos dos caciques José Sarney e Renan Calheiros.

Ouvidor

Quem tomou posse essa semana como Ouvidor Geral do Estado, foi nada mais, nada menos que Vicente Moura, o famoso Cumbiquira. Este é fiel escudeiro de longas datas do governador Confúcio Moura (PMDB).

Filtro

O Vicente Cumbuquira vai atuar como uma espécie de filtro das intrigas e fofocas palacianas até os ouvidos do governador Confúcio Moura (PMDB).

Ligeiro

O ex-chefe da Casa Civil Ricardo Sá, se mostrou competente e ligeiro ao chegar à presidência do Porto. Este já tem uma radiografia da SOPH e vem se movimentado pra viabilizar os investimentos necessários para deslanchar a sonhada Hidrovia do Madeira.

Ver

O novo Chefe da Casa Civil Juscelino Amaral está mandando ver no seu novo desafio e apresenta sinais que não está pra brincadeiras.

Incomodado

Todos sabem que Juscelino Amaral é Grão-Mestre da Maçonaria e tem uma conduta ilibada, mais pessoas que o cercam na sua nova função, confidenciaram que o homem vem incomodado com a presença do adjunto, pois este teve o nome envolvido na Operação Termópilas.

Ouriçada

Quem anda se ouriçando no grupo Cassol para disputar a prefeitura de Porto Velho, é a famosa Jaqueline Cassol, mais ela esquece que o reduto cassolistas não passa dos limites de Rolim de Moura.

Conversando

Quem vem tentando colar conversas com outros partidos é o deputado federal Mauro Nazif (PSB). Este segue a receita do ex-presidente Lula, ou seja, vencer o eleitor pelo cansaço.

Tucanada

O ex-senador Expedito Júnior não conseguiu construir um cenário favorável para o PSDB da capital, ou seja, o partido hoje só conta com o nome da vereadora Mariana Carvalho para disputar a prefeitura da capital.

Alternativa

Quem vem conversando com os partidos considerados nanicos é o vereador Mário Ségio (PMN). Este vem tentando construir uma candidatura alternativa a prefeito visando chegar ao Palácio Tancredo Neves.

Grupos

Diferente de outros muitos cenários regionais, os grupos políticos mais fortes de Rondônia que influência nas decisões do Estado, nunca prepara novas lideranças para disputar a prefeitura da capital.

Estrada

O prefeito José Brasileiro (PSB) de Nova Mamoré sugeriu pediu governador Confúcio Moura (PMDB) que viabilize a tão sonhada Estrada Parque ligando a sede daquele município ao Distrito de Jacinopólis.

Volta

São apenas 20 km que se transforma na verdade em 700 km para se chegar a promover alguma ação da Prefeitura de Nova Mamoré ao seu Distrito de Jacinopolis. Tudo isso é por conta de um dentinho do Parque Estadual de Guajará-Mirim.

Homenagem

Quem era defensor ferrenho dessa Estrada Parque era o saudoso Isaac Bennesby, seria uma justa homenagem se a tal estrada sair do papel ter o seu nome. Com a palavra e a iniciativa, Lúcio Mosquini (DER) e Nanci Rodrigues (SEDAM).

Defesa

Este Colunista por diversas vezes que concedeu entrevista nas rádios da região de fronteira, defendeu a Estrada Parque como um meio de encurtar distâncias, coibir o tráfico de droga e coibir a passagem de motos roubadas da região da grande Ariquemes para a Bolívia.

Recadinho

A SEMTRAN deveria viabilizar a implantação de um semáforo no cruzamento das Avenidas Jorge Teixeira e Imigrantes.

Batida

Um passarinho preto confidenciou a este Colunista que uma mega operação está sendo viabilizada para fechar os cassinos e casas de jogos clandestinas na capital.

sábado, 21 de janeiro de 2012

Pra onde vai a nossa memória?

Escritor Mario de Andrade visita Marco Rondon em 1927.
Apenas Vinte dias do bravo banzeiro sepultou 100 anos de história

        Diante do ocorrido com o “obelisco” fincado no meio da mata, nas margens do Rio Madeira pelo então sertanista Marechal Cândido Rondon, servindo como primeiro delimitador territorial bem antes do Território do Guaporé, nessa última quinzena de janeiro de 2011, deixou de existir para as gerações futuras, pois com a abertura das comportas da Usina Hidrelétrica de Santo Antônio, o efeito da água provocado pelas ondas fortes no leito do rio, dragando as suas margens por mais de 40 metros e arrastando tudo que se encontrava pela frente, inclusive o “Marco Rondon”, um dos principais símbolos do patrimônio histórico rondoniense.


         Pesquisando sobre o significado de Patrimônio Histórico, esse blogueiro achou o seguinte conceito mais próximo do coerente, ou seja, “refere-se a um bem móvel, imóvel ou natural, que possua valor significativo para uma sociedade, podendo ser estético, artístico, documental, científico, social, espiritual ou ecológico”.
         Assim, ninguém é inocente pra não saber o significado do pouco patrimônio histórico existente no nosso Estado, sendo o principal sítio, a nossa capital, detentora de um dos acervos mais ricos da passagem de Rondon com a linha do telegrafo e do que sobrou da Estrada de Ferro Madeira Mamoré. São valores históricos que precisam ser conservados, inclusive os casarios antigos que estão sendo derrubados, reformados e substituídos por construções modernas. Esse acervo cultural marca o nascimento da nossa capital e do nosso Estado, que compõe a paisagem e incorpora nas lembranças dos que vieram antes e depois, ou seja, pioneiros, bandeirantes e, para a geração presente, faz parte do seu cotidiano como referência a um passado de bravura e desbravamento de homens que deram a sua vida para escrever cada capítulo da nossa história.


         A preocupação pela preservação do patrimônio histórico teve inicio no Século XIX após a Revolução Francesa e Industrial, visando restaurar monumentos e edificações antigas que compunha o cenário histórico das cidades destruídas pela guerra. Assim, diante do atual abandono ao nosso acervo histórico cultural que compõe os elementos principais do nosso patrimônio histórico, em muito se perde pelo nosso Brasil a fora em relação ao tema. Portanto, esse blogueiro vem se valer da seguinte opinião do renomado professor da nossa história regional Marco Antonio Domingos Teixeira Guerra ao afirmar que é “triste ver que ainda vivemos em uma terra sem lei. Lugar de ninguém, onde os que chegam se sentem donos daquilo que nunca lhes pertenceu e se julgam no direito de nos falar sobre o que é ou não é relevante e histórico. Puro descaso, pura ‘falata’ de aplicação da lei, omissão do IPHAN e de outros órgãos encarregados de zelar pelo patrimônio, cultura e tradições. Isto tudo sem falar nos impactos diretos sobre as populações residentes. Até quando viveremos neste limbo da legalidade e da cidadania?”.


         Sendo assim, ainda comungo das palavras finais do professor Marco Antonio Domingos Teixeira Guerra quando defende que é “hora de criarmos um REAJA PORTO VELHO. Até quando vamos assistir impassíveis a todo esse desmando e pilhagem de nosso patrimônio?”. Bem, população de Porto Velho e do nosso Estado, fica o registro da nossa indignação quanto à destruição do nosso Patrimônio Histórico, com a perca dos nossos símbolos de grande valor e referência histórica para as futuras gerações. Nada terão pra ver como era a cidade antiga, bem como o acervo cultural pertencente ao nosso cenário histórico, o que é muito lamentável.


Crédito das fotos: www.rondoniaovivo.com.br

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Coluna Falando Sério

A nossa capital Porto Velho, com a chegada das Usinas do Madeira, se transformou na capital dos desafios. O maior desafio para seus gestores nas próximas décadas será encontrar solução para melhoria na qualidade de vida da população com a promoção do bem-estar da população através de maciços investimentos em educação, segurança, saúde pública, mobilidade urbana sustentável, limpeza pública, iluminação pública, saneamento, recuperação do asfalto urbano, implantação de galerias pluviais, estacionamento, trânsito, transporte coletivo urbano, atenção ao pedestre, ciclistas e motociclistas. Além é claro, do sonhado camelódromo, padronização de calçadas, atenção aos distritos, as linhas rurais e, no meio ambiente urbano, com a despoluição e desobstrução dos igarapés. É tantos desafios a ser vencido para fazer da nossa capital um belíssimo cartão postal, que cabe a cada cidadão também fazer a sua parte.
Calçadas
A prefeitura da capital vem retirando os obstáculos nos passeios públicos, essa semana foi a vez de barraqueiros de frutas e camelos. Mais o órgão competente esqueceu de destinar uma área para esses trabalhadores ambulantes que sustenta a sua família com a venda de frutas etc.
Sinalização
Muitos pedestres vêm reclamando da instalação de placas de sinalização na calçada de Porto Velho. Pois estas depois de instaladas se tornaram obstáculos também para os usuários das calçadas da cidade.
Verba
Quem andou se queixando foi o vice-governador Airton Gurgacz (PDT), que também é diretor do DETRAN, sob a falta de iniciativa de muitos prefeitos em não encaminhar ofício solicitando assinatura de convênio visando à implantação de sinalização urbana.
Exemplo
Segundo Airton Gurgacz (PDT) dinheiro está em caixa, falta vontade política dos prefeitos em solicitar a verba e o maior exemplo seria do município de Guajará-Mirim.
Volta
A população espera ansiosa a volta dos trabalhos legislativos da Assembléia Legislativa. Muitos acreditam que o deputado estadual Hermínio Coelho (PSD) com a experiência acumulada no parlamento mirim da capital, fará grandes mudanças naquela casa.
Confirmou
O secretário da SEDES, Edson Vicente (PMDB), confirmou a este Colunista que não deixa o cargo para disputar a prefeitura de Ouro Preto. O mesmo disse ainda que o PMDB de Ouro Preto indique o candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada por Alex Testoni (PSD).
Deslanchou
Falando na SEDES, essa é uma das secretarias do Governo Confúcio Moura (PMDB) que deslanchou no primeiro ano de Governo da Cooperação, motivo pelo qual não seria necessário sofrer qualquer tipo de mudança.
Crescendo
Com o falecimento de Isaac Benesby (PMDB), o cenário eleitoral ficou aberto em Guajará-Mirim. Assim, o senador Acir Gurgacz já faz costuras com os caciques maiores do PMDB para indicar um possível nome para figurar de vice na chapa encabeçada por Rodrigo Melo (PDT).
Tentativa
Quem vem tentando se reabilitar junto ao eleitorado de Guajará-Mirim é o ex-deputado Miguel Sena (PP). Este tenta ser candidato a prefeito pela segunda vez.
Fatura
O ex-deputado Miguel Sena (PP) tem que lembrar que o povo vai cobrar nas urnas a fatura pelo apoio que deu a eleição do atual prefeito Atalíbio Pegorinni (PR). Este último é campeão no quesito rejeição em todas as pesquisas realizadas até agora em Guajará-Mirim.
Clima
As pesquisas de consumo interno do PMDB dão como certa a reeleição do prefeito Zé Ribeiro em Presidente Médici. Este Colunista alerta para o perigo do clima de já ganhou quando toma conta de candidaturas, todos já sabem o que acontece.
Costura
Esse Colunista errou quando disse que o deputado federal Mauro Nazif (PSB) não tinha pretensão em disputar a prefeitura de Porto Velho. O homem já vem travando conversas com dirigentes partidários para construir uma ampla aliança visando o Palácio Tancredo Neves.
Sapinho
Foi bombástica a revelação nessa semana das gravações da Operação Termópilas envolvendo o deputado Euclides Maciel (PSDB). Quem ouviu e leu a transcrição do áudio, sentiu que o sapinho nesse tempo todo estava tentando virar príncipe.
Vapor
Quem está a todo vapor é o secretário Rui Vieira da SEAD. Este já tem o mapa de todos os cargos que ficarão vagos com a transposição, o quadro de vagas para os próximos concursos e diz que esse momento é sublime para o Estado de Rondônia.
Guerreira
A secretária Nanci Rodrigues (PC do B) conseguiu uma grande conquista para aquele órgão, a aprovação pela ALE do PCCR dos servidores e ainda será a primeira a emplacar o concurso público para aquela pasta.
Segurança
Este Colunista percebeu a ausência da Policia Militar dos eventos pré-carnavalesco da capital. Uma ausência significativa que põe em risco a segurança dos populares que participam das noites de ensaios das Bandas, Blocos e Escolas de Samba.
Atenção
A prefeitura da capital precisa dar uma atenção especial à “pista”. Pois faltam coletores de lixo e iluminação pública para quem prática exercício físico naquele espaço alternativo.

Página de um caderno

        
         Numa página de caderno, Alice abre as primeiras linhas com a seguinte frase: Sei que esta me fazendo mal, só não estou conseguindo sair dessa. Logo ela afirma que se apaixonou por um cara errado e na fala dele, sempre descartar sentir algo de verdadeiro por alguém, preferindo viver solto e largado.
         As confidências vão aumentando nas linhas da página do caderno. Alice revela que vem travando uma enorme batalha há dez meses por esse amor. Pois gosto demais dele, de ficar com ele às vezes, mas não consegue ter algo sério, pois ele fica com outras. Ela não pode falar nada por não ser namorada dele, mas sente muito ciúmes de até passar mal, fazendo seu corpo arder em dores provocadas por profundas feridas na sua alma por esse amor doentio.
         A jovem até tenta não deixar ele perceber das dores em sua alma, mas quando o ver, por gostar dele, desejar sua atenção e tentar despertar o seu sentimento por ela, revela que tem feito coisas que são fora do comum e bem distante da sua natureza. A jovem nos seus rabiscos, afirma que passou por cima do seu orgulho, da sua vergonha.
         Ele ao sofrer um acidente de moto e teve traumatismo craniano. Alice quando ficou sabendo foi até ao hospital. Ficou noites e dias cuidando dele para uma só dor ele não sentir, enquanto o seu corpo sofria pelas noites não dormidas ao ficar cuidando dele. Todas as suas economias, Alice gastou com o tratamento dele, pois ele precisou fazer uma cirurgia na cabeça, a sua família não tinha dinheiro e nem muito menos cheque para servir de caução no hospital.
         Mais uma vez, Alice foi providencial, tudo resolveu para ver logo quem tanta amava curado e restabelecido. Tentando ser forte na frente dela quando acordou, ele dizia pra ela não gostar dele, pois nada ele poderia lhe oferecer. Mesmo assim, Alice acreditava que poderia dobrar o coração do seu amado. Logo também, ele perguntou quem estava pagando a conta do hospital? A menina apaixonada disse que correu atrás do dinheiro, que seu pai emprestou os cheques para a cirurgia e comprou os remédios no seu cartão de crédito.
         O silêncio reinou no leito do hospital, logo Alice ofereceu os mimos, carinho, comprando sorvete, refrigerante, chocolates. Enfim, depois da cirurgia já bem melhor em casa, estando os dois sós. Ele revela a Alice que não tinham passado e nem presente, muito menos perspectiva de futuro nesse relacionamento sonhado por ela e concluiu dizendo que queria ficar com outras mulheres, se o encontrasse na rua, era pra fingir que não o conhecia.
         Chorando demais, Alice ficou muitos dias na cama triste, sem vontade de levantar, de comer, mas com o tempo, conseguiu se recuperar um pouco. Voltando para as suas atividades normais. Mais a recaída veio, começaram a se conversar novamente, ficando por algumas vezes. Ele sempre grosso, por muitas vezes falando palavras pesadas, a humilhando, sendo apenas carinhoso na cama. Por fim, Alice descobriu que contraiu HPV (doença sexualmente transmissível), para sua maior tristeza, ele teria sido o único homem de sua vida.
         O pior de tudo, as lágrimas continuaram a escorrer por sua face, mas Alice confessa nas linhas escritas, que seu sentimento é doentio, o perdoa de tudo, mais chorando, quando se lembra, o tenta esquecer. Mais seu sentimento doentio é muito maior, dominando a sua alma, o desejando sempre, esperando ele se apaixonar por ela. Pois não tem raiva dele, quando o ver, da vontade de beijá-lo, morre de ciúmes dele com outras garotas. Mesmo sabendo da necessidade de se libertar desse amor não correspondido, doentio e angustiante.
         Nas palavras finais, Alice revela a sua carência, da sua necessidade de possuir esse amor não correspondido. Pede ajuda, mas parece que ninguém sabe lhe ajudar, como ela sofre demais, mergulhada numa profunda depressão, chorando todos os dias, esperando conseguir se libertar desse sentimento ruim e que a faz sofrer.

Pra onde vai a CAERD?


         Passado todo esse tempo de existência, o governo Confúcio Moura (PMDB) já encara a Companhia de Águas e Esgoto de Rondônia (CAERD) como um desafio a ser vencido, como nenhum outro, de tantos problemas herdados das gestões anteriores, empurrados pela barriga e que tiveram o seu estragulamento revelado no governo da cooperação.
         Diferente do passado, o governo atual adotou a transparência como modelo de gestão, chamando a sociedade rondoniense para também decidir sob as responsabilidades das ações que o Estado em relação aos problemas apresentados. Assim, a CAERD com sua nova administração, já apresenta bons resultados nos últimos meses com a recuperação de receita, a partir da negociação direta com os consumidores e negociaçãos das dividas da empresa junto aos fornecedores.
         A referida companhia responsável pelo serviço de fornecimento de água tratada, coleta e tratamento de esgoto sanitário, nos próximos anos do Governo da Cooperação, precisa superar todas as deficiências acumuladas aos longos dos anos como uma empresa de massa falida, para se tornar um empresa referência em eficiência operacional, resultados econômicos positivos e consolidando uma verdadeira política de gestão ambiental no total da sua operacionalidade.
         O governo Confúcio Moura (PMDB) com recursos do PAC, conseguiu reiniciar as obras de implantação de rede de água e esgoto na capital, um comprometimento do governo da cooperação com a população da capital em universalizar o acesso ao saneamento e consequentemente, cooperar com o desenvolvimento sustentável de Porto Velho.
         Ainda existe muito por fazer, é preciso buscar um novo modelo de gestão descentralizada a partir da regionalização por bacias hidrográficas, modelo utilizado desde o ano de 1995 pela SABESP, atendendo a uma nova legisalação estadual de recursos hidrícos, tranformando a empresa num modelo de gestão eficaz e de rápido atendimento as demanadas dos consumidores, clientes, prefeituras e ao meio ambiente.
         É preciso inovar, portanto, a CAERD precisa se determinar a onde deseja chegar. Exemplos de outras empresas do setor devem ser estudados e comparados, números devem ser discutidos, soluções construidas em conjunto e estratégias estabelecidas para fazer dela, uma empresa rentável e competitiva no mercado, criando um ambiente de satisfação para os usuários em seu todo, bem como aos seus acionistas futuros, a partir da abertura do seu capital.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

A tal felicidade


         Desde meados do ano passado, a palavra felicidade passou a ser tema de vários debates internacionais, inclusive na ONU (Organização das Nações Unidas), que através de uma resolução e um calculo matemático visando cria critérios no intuito de medir o nível de felicidade dos povos.
         Segunda a ONU, a “felicidade interna bruta”, que está sendo popularizada como “FIB”, não tem nada haver com o Produto Interno Bruto (PIB) em si. Mais afirma que a partir da riqueza material do país e dos seus cidadãos, pode-se medir o grau de felicidade. Considerando que a riqueza ajuda, mais não seria o parâmetro ideal para determinar que o povo de um país rico seja mais feliz que o povo de um país pobre, uma avaliação muito relativa e contraditória de tal condição de valor.
         Não acredito na hipótese que o individuo tenha que ser rico para alcançar a felicidade, pois com a experiência de vida acumulada, já vi pessoas com tão pouco, serem mais felizes do que as pessoas que possuem muito. A minha crença consiste que a felicidade é proveniente da riqueza de espírito a partir da fé, da saúde plena, do amor, da cumplicidade e como afirmava Arthur Schopenhauer: “a nossa felicidade depende mais do que temos nas nossas cabeças, do que nos nossos bolsos” e “raramente pensamos no que temos, mas sempre no que nos falta”.
         Com base no pensamento humanista, o PIB de um país como fator relevante para determinar a felicidade, logo se torna subjetivo diante de tais adjetivos acima. Pois tal resolução da ONU tentando sensibilizar as nações a criar um ambiente de felicidade em favor do seu povo, está muito distante do concreto a ser feito, principalmente nos países pobres, que a maioria da população vive em condições de extrema pobreza ou de miséria absoluta.
         Para as bandas de cá, o Senador Cristóvão Buarque (PDT/DF) tenta mudar o preâmbulo da nossa Carta Magna a partir da emenda constitucional (EC/19), tentando incluir a palavra “felicidade” a partir da seguinte redação: “a felicidade como um direito social”. Algo bem difícil de cumprir, portanto, mais uma letra morta diante de tantas que existem na nossa Cata Maior e não observada pelos três poderes que harmonizam a existência do nosso Estado.
         A primazia maior de fazer as pessoas felizes de uma nação é proporcionar o bem-estar social a partir de uma boa divisão de renda e sublimar a geração de emprego e renda, dando dignidade ao seu povo. O grande Victor Hugo afirmava que “a suprema felicidade da vida é ter a convicção de que somos amados”. Sendo assim, é preciso que os nossos governantes comecem amar de verdade o povo que governa, proporcionando um ambiente de felicidade a casa de seus governados e, por fim, proporcionar alegrias das famílias.
         A felicidade é um sentimento simples, sem percebê-la e valorizar, pode se deixar ir embora. Na verdade, a felicidade consiste na sensação de paz, harmonia e expressada a partir de sentimentos fortes. Assim, seria muito bom que os direitos fundamentais assegurados na nossa Carta Maior chegassem ao ápice das ações dos nossos governantes, pois a verdadeira felicidade de um povo é quando exerce a sua cidadania e, usufruindo dos direitos básicos como saúde, educação, trabalho, segurança e lazer.
         Concluo a minha divagação de idéias lembrando que o Brasil se tornou a 6º economia mundial recentemente e presumo que não devemos cair novamente na demagogia constitucional. Pois, segundo Dostoievski “a maior felicidade é quando a pessoa sabe porque é que é infeliz”. Assim, é preciso o Estado ser o maior realizador da felicidade para o seu povo, sem exceções ou restrições.

domingo, 8 de janeiro de 2012

Coluna Falando Sério

Morreu, aos 102 anos, Beatriz Bandeira, a última sobrevivente da famosa cela 04 – onde foram presas, na Casa de Detenção, no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, as poucas mulheres que participaram da revolta comunista de 1935 no Brasil. Foi na cela 04 que ficaram confinadas Olga Benário (esposa do líder da intentona, Luiz Carlos Prestes), a futura psicanalista Nise da Silveira, a advogada Maria Werneck de Castro e as jornalistas Eneida de Moraes e Eugênia Álvaro Moreyra. Por conta dessa passagem, Beatriz virou personagem de livros como “Memórias do Cárcere”, o relato biográfico de Graciliano Ramos, que também esteve preso por causa da revolta. Pouco antes, como militante comunista e da Aliança Nacional Libertadora (ANL), Beatriz conheceu seu marido, Raul, que viria a ser jornalista e secretário de Imprensa do governo João Goulart (1961-1964). Com ele se casou três vezes. Os dois foram exilados duas vezes. Em 1936, depois da libertação, foram expulsos para o Uruguai. Em 1964, após o golpe militar, receberam abrigo na Iugoslávia e, posteriormente, na França. Ao regressar ao Brasil, Beatriz continuou a militância política nos anos 70 e 80. Foi uma das fundadoras do Movimento Feminino pela Anistia e Liberdades Democráticas, que lutou pelo fim da ditadura no País.
Família
Beatriz nasceu em uma família positivista. Seu pai, o coronel do exército Alípio Bandeira, foi abolicionista. Como militar, trabalhou no Serviço de Proteção ao Índio (SPI) e ajudou o Marechal Cândido Rondon na instalação de linhas telegráficas no interior do País e no contato com tribos isoladas – Alípio liderou o encontro com os Waimiri Atroari em 1911, por exemplo.
Militância
Além de militante política, Beatriz foi poeta (publicou “Roteiro” e “Profissão de Fé”) e professora (foi demitida pelo regime militar da cadeira de Técnica Vocal do Conservatório Nacional de Teatro).
Escritora
Também escreveu crônicas e colaborou para o jornal A Manhã e as revistas Leitura e Momento Feminino. Há dez anos ela contou um pouco de sua história em uma entrevista à TV Câmara.
Fato
Beatriz morreu na noite de segunda-feira (dia 02/01/2012) após um AVC. Foi enterrada no final da tarde de terça-feira (dia 03/01/2012) no Cemitério São João Batista, em Botafogo, Rio de Janeiro.
Homenagem
Rendo a minha homenagem ao seu neto Luiz Antonio Ryff de quem recebi um belíssimo depoimento sobre seus últimos momentos ao lado de sua avó Beatriz Bandeira Ryff.
Pressa
O governador Confúcio Moura (PMDB) pediu agilidade e pressa no programa de regularização fundiária estadual.
Posse I
A semana foi marcada por posses no governo Confúcio Moura (PMDB). Na Casa Civil foi a vez de Juscelino Amaral, que ao tomar posse demonstrou gozar de muito prestigio pessoal entre os irmãos de Maçonaria.
Posse II
A semana encerrou com a posse de Ricardo Sá (ex-chefe da Casa Civil) na Sociedade de Porto e Hidrovias – SOPH, demonstrando muito prestígio pessoal com a classe política e religiosa do Estado.
Mudanças
O ciclo holístico do governador Confúcio Moura (PMDB) ainda não acabou. Muitas mudanças se darão até o início da abertura dos trabalhos legislativos.
Aniversário
Rondônia fez 30 anos como Estado e a festa foi no Palácio Presidente Vargas com direito a bolo e velinhas sopradas pelo governador Confúcio Moura (PMDB).
Ausência I
Toda a classe jornalista presente estava num burburinho só, registrando a ausência de muitos aliados do governo. Principalmente dos deputados estaduais e federais que compõem a base aliada.
Ausência II
Também comentários não deixaram de existir em torno da ausência do vice-governador Airton Gurgacz e do Senador Acir Gurgacz.
Ausência III
Além é claro, da ausência da deputada federal Marinha Raupp e do senador Valdir Raup, ambos são os caciques maiores do PMDB rondoniense.
Substituição
A bem que se sabe, o novo secretário de saúde do Estado, delegado Rodrigo de Souza, por determinação do Palácio do Governo, já procura um novo nome para assumir a direção do Hospital João Paulo II.
Minguando I
Quem vem minguando a nível nacional é o Democrata (ex-PFL). Parece que com a nova denominação, não colou muito bem, pois renegaram a bandeira do liberalismo no país.
Minguando II
A nova denominação da sigla não caiu na graça do eleitor, lhe trazendo enormes prejuízos eleitorais nas ultimas eleições e o golpe fatal veio com a dissidência “Kassabista”, dando origem ao PSD.
Visita
Quando o governador Confúcio Moura (PMDB) fez sua primeira visita nos prédios do CPA, fez o seguinte comentário: "Esta obra vai ser muito boa para o Poder Executivo e para os Servidores Públicos, não vou mudar nada, apenas acrescentar um local para o pessoal fazer ginástica, que servirá para melhorar a saúde de todos".
Esforço
O Diretor do DEOSP Abelardo Castro precisa somar esforços com as empresas contratadas para a execução da obra do CPA, juntamente com a equipe técnica do governo e Ministério Público visando equacionar os problemas junto ao TCE-RO.