sábado, 31 de dezembro de 2011

Minha prima Eliana, a sexta-feira que eu chorei!


         Tenho que render-me, na guerra do asfalto não há trégua. Essa última sexta-feira do ano de 2011 mais uma tragédia se abateu a minha família. Dessa vez, do lado de minha mãe Elisete, família dos Pereira, não da Guerra de Princesa, mais do litoral que leva a brisa para os sertões.
         Perdi minha prima Eliana, filha de Tio Edgar, irmão de minha mãe, casado com Sandra Chirol de família tradicional do Rio de Janeiro na locução esportiva. Meus primos Sidney, Edney e Renata, todos sempre tão carinhosos comigo. Logo me pergunto? Que entrada de ano novo para nós? Mais um imprudente no trânsito retirar repentinamente do nosso convívio uma pessoa de apenas 31 anos! Não só tirando a sua vida, mais aleijando, ferindo toda uma família.
         Na batalha das pistas, a imprudência não poupa pais, mães e crianças, que dor eu senti quando soube de sua morte. Lágrimas vieram a minha face, a final, não sou essa fortaleza que todos pensam que sou, tenho sentimentos também, as lágrimas escorreram dos meus olhos, cobrindo o meu rosto, a tristeza tomou-me de conta por tão grande perca. Assim, fuçando o Orkut da minha prima Eliana, quando se tem QUEM SOU EU, ela nos deixa a seguinte mensagem:

Erro e, às vezes, erro feio, mas tento ser uma pessoa melhor sempre. Busco aprender com meus erros. Sou sincera e às vezes mal compreendida por isso, ou não me faço entender bem. Não tenho vergonha de dizer que amo! Sei o valor de um beijo e um abraço sincero. Sei o que quero e faço por merecer, e se quero algo, eu consigo. Não vivo sem música. Na maioria das vezes acordo um pouco mal humorada. Gosto de viver as coisas por inteiro. Acredito que a vida é uma pista de mão dupla, onde tudo o que vai, volta, por isso procuro sempre fazer o bem. Sou ora persistente ora teimosa! Acredito fácil nas coisas que me dizem, mas não gosto de descobrir que fui enganada. Não sou como Roberto Carlos que queria "ter um milhão de amigos" (pensando bem, seria uma boa!), mas prefiro meia dúzia que valham à pena, e os tenho! Vez em quando reclamo, mas sei o valor de tudo o que eu tenho. Enfim, cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é.

Coco Chanel disse uma vez : "não sou mais o que era ... devo ser o que me tornei".
Verdade.

"Se é pra viver um grande amor,
Sei que é preciso cultivar,
Hoje aprendi com o que passou,
Que cada detalhe vai somar♫

         Não tenho mais palavras, a emoção tomou conta dos meus pensamentos, desmanchou os meus dedos, desfigurou o meu teclado! Fica aqui minha homenagem a minha prima Eliana Chirol da Silva, vitima de mais um acidente de trânsito, nos deixando órfão do seu convívio e rogo a Deus que nos conforte a todos!

         MINHA PRIMA ELIANA, A SUA DEFINIÇÃO DE QUEM SOU EU, TAMBÉMS SERVE PARA SEU PRIMO AQUI! CHORO, CHORO, CHORO, TENHO QUE CHORAR! TANTO CARINHO VOCÊ ME RECEBIA EM JOÃO PESSOA! AS LÁGRIMAS TOMAM CONTA DA MINHA FACE!
         NOSSA, TODO NATAL E ANO NOVO COM VOVÓ ELITE E A FAMÍLIA REUNIDA, COMO VAI SER? QUE DOR POR ESSA PERCA, A MINHA PRIMA QUE TANTO CARINHO ME OFERTAVA! QUE DOR PRIMA POR VOCÊ, CHEIA DE VIDA! DEUS, EU ROGO, CONFORTE A MIM E MINHA FAMÍLIA!

Não vamos enterrar um homem, vamos plantá-lo – Parte VIII

Ao lado de Joãozinho Clímaco

       Continuo a escrever as minhas memórias desde a minha chegada em Nova Mamoré. Por essas datas de festas de fim de ano, juntamente com Zé Renato, Socorro, Nando e Renatinho, passamos a noite de natal no Country Clube, de propriedade da família Clímaco, que no passado pertenceu a João Francisco Clímaco, dono do seringal na região, fundador da Vila Nova do Mamoré e o primeiro administrador público do lugar.
         Era minha primeira noite de natal longe do aconchego da família, de parentes e dos amigos, as lembranças vinham a minha mente como um vulcão em erupção. As recordações da infância, as traquinagens da adolescência e as dificuldades em buscar os caminhos de acertos na fase adulta eram verdadeiras explosões no meu imaginário. Ficava vendo as pessoas se divertirem, dançando e servindo-se na vasta mesa com as mais variadas comidas. A noite de festa a cada minuto, a cada hora, parecia um dia, um ano de minha vida, pois a reflexão bateu sobre o meu espírito, carregando a minha alma para bem longe dali.
         Logo, Socorro percebeu que meu corpo estava ali, mais eu estava bem longe, meus pensamentos flutuando no imaginário do passado. Essa boa alma, com seu jeitão despachado, que tenho por ela o carinho de filho por mãe, vindo até a mim, sentou-se ao meu lado e do Zé Renato, conversamos muito e me perguntou se a tristeza teria me pego. No mesmo instante lhe afirmei que não, a minha maior razão para observar as pessoas do lugar, era refletir e tomar uma decisão que mudaria minha vida, pois se pessoas poderiam ser feliz em Nova Mamoré, eu também poderia ser, uma mudança radical em minha vida.
         Assim, depois desse papo melancólico que se abateu a mesa, mais com muito saudosismo ao passado, cai na diversão na companhia dos novos amigos que nos receberá tão bem naquela noite. E cada natal ou festa da virada do ano novo, as minhas lembranças sempre se voltarão para Nova Mamoré que para mim, não só representa o berço do Madeira, mais o meu berço também e de tantas pessoas boas que ajudaram e continuam ajudando a construir a história do lugar.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Porto Velho, a cidade que precisa acontecer

Programa de Reciclagem na capital Curitiba - PR

A coleta seletiva como forma de reduzir o desperdício
        
         Alguns meses sem publicar sobre Porto Velho, a cidade que precisa acontecer! Novamente fui motivado escrever e estimulado a escrever sobre relevante tema. Atribuo essa volta a partir do recebimento de um e-mail, postado por um cidadão cobrando a continuidade de idéias blogadas de gestão pública que podem vir a melhorar a nossa qualidade de vida na nossa cidade.
         Nas primeiras abordagens com de Porto Velho, a cidade precisa acontecer, tratei da preparação da cidade para os tempos das águas, alertei, mais nada foi feito de concreto e pessoas tiveram suas casas e ruas tomadas de conta pelas águas das intensas chuvas nos últimos dias. Sabemos que a prefeitura da Capital tem vários órgãos na sua estrutura que dão manutenção, conservação e limpeza na nossa cidade, mais tais órgãos ainda não foram capazes de criar programas amplos e impactantes para melhorar a vida dos habitantes da nossa cidade.
         Hoje vou tratar especificamente da coleta do lixo da nossa capital, pois todos sabem que tal serviço é terceirizado a uma empresa e por ano milhões são gastos, contrato aditivado, surge serviços extras que não estão em planilha e por fim, aparece o realinhamento de preço, manobras dentro da Lei que significa na verdade, desvio de dinheiro público. De tudo isso, quem paga a conta é o contribuinte através da Taxa de Lixo e continuamos sofrer com coleta irregular, ruas, terrenos baldios e espaços públicos sujos, ou seja, continuamos vendo nossa cidade suja, escura e mal conservada.
         Todos nós sabemos que não há como parar de produzir lixo por conta do consumismo. O que podemos juntos fazer é diminuir essa produção, isso só será possível acontecer se reduzirmos o desperdício e partimos para reutilização do que pode ser reciclado através da implantação da coleta seletiva, na verdade, o reaproveitando do de matérias descartado por nós e que pode ser novamente reutilizado através da reciclagem. Assim, nós habitantes de Porto Velho é preciso acreditar que podemos fazer a diferença através de um presente responsável para termos um futuro melhor.
         A coleta seletiva do lixo representa na verdade emprego para quem mais precisa de um trabalho e renda. Estimula a criação de cooperativas de catadores, conscientiza a população a participar de implantação de programas de responsabilidade pós-consumo, consolida uma política de resíduos sólidos e promove ganhos sociais e ambientais para nossa capital.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Quando eu vi Guajará-Mirim chorar!


         Não poderia ser um dia comum para o saudoso tocador de obras Isaac Bennesby deixar de conviver conosco para atender ao chamamento do nosso pai celestial. Portanto, o calendário histórico da cidade de Guajará-Mirim mudou a partir desse natal de 2011, ficando marcada na memória de um povo cheio de esperança, a partida de um homem que em vida, foi um grande defensor e idealizador de projetos ambiciosos e desenvolvimentistas para aquela tão importante cidade de fronteira.
         A família Bennesby de origem judaica possui uma tradição econômica e política na vida do município de Guajará-Mirim e também no Estado de Rondônia. Isaac não foi um homem comum, destacou-se na vida empresarial fazendo estradas, era comum ver aquele homem com as barras da calça sujas de piche ou barro, ou seja, levando asfalto, que para ele, significava o símbolo do desenvolvimento de qualquer lugar. No mundo da política, se destacou como prefeito de projetos ambiciosos, sendo logo em seguida, eleito deputado estadual para representar o povo que vive na fronteira.

         Conheci Isaac Bennesby pelas mãos do meu amigo Renato Pinto de Almeida, fã numero um desse homem, elogios não faltavam e sabendo que ele estava fora do Estado, fui render as homenagens a Isaac pelo meu amigo Renato, tendo certeza, que mesmo estando longe, lágrimas escorreram pelas faces do rosto do meu amigo Renato, em sentimento enlutado pela grande perca de um amigo que tanto admirava.
         O político e empresário Isaac era um homem de costumes simples, porém um empreendedor nato. Disso o fez em vida uma lenda na região e agora com sua morte, o povo deverá fazer dele um mito de esperança, ficando marcado nas lembranças dessa geração e devendo ficar registrado na história para as gerações futuras, o homem afortunado de idéias que foi em vida, os projetos ambiciosos realizados como prefeito, secretário de Estado e deputado estadual. Sempre foi admirado, amado e consagrado pelo povo, desenvolveu ações que impulsionou o desenvolvimento econômico da região de fronteira de Rondônia, particularmente, Guajará-Mirim e Nova Mamoré.


         Quando o município de Guajará-Mirim entrou em decadência, a família Bennesby transferiu os negócios da família para capital e outras cidades de Rondônia. Ficando apenas Isaac no lugar, este resistiu até o dia da sua morte junto com os casarios e monumentos históricos que marcam a paisagem do lugar. A data que se comemora o nascimento do menino Jesus no calendário cristão, ficará na lembrança de um povo mergulhado na desesperança, e que tinha na figura de Isaac, para as próximas eleições municipais, como o cavaleiro da esperança. Este não morreu sozinho no dia de natal, perto dele não se tinha um familiar presente para cantar cantigas natalinas que enchesse de felicidade o seu coração cansado. Acredito que Isaac não veio nos deixar como um lobo solitário, mais sendo prontamente atendido pelas mãos de quem salva vidas, e consequentemente, carregado nos braços do povo! Foi quando vi Guajará-Mirim chorar!

O ADEUS A ISAAC BENESBY


         Domingo Guajará-Mirim chorou mais uma vez. Não foi só Guajará, foi Rondônia inteira. O coração do Isaac parou de vez. De agora em diante não o veremos mais – como sempre ansioso e alegre ao mesmo tempo. Sempre com pressa para cumprir suas tarefas. Amava começar e terminar um serviço no prazo certo. E andar pelas ruas distribuindo abraços.
         Era engenheiro de campo. De fazer acontecer as coisas. Sempre criando alternativas para o baixo custo. Fazer bem feito dentro do orçamento curto de uma prefeitura. Improvisava composições da massa asfáltica. Juntava os materiais disponíveis em cada região. Fazia contas de cabeça, avesso a maquinarias calculadoras. Tinha a história política de Rondônia na palma da mão. Uma memória prodigiosa.
         Foi Prefeito de Guajará. Imbatível em suas ações que perenizam. Foi além das suas atribuições domésticas. Esticou o carreador antigo que ligava BR 364 ao seu município e o transformou em rodovia pavimentada. Ele mesmo à frente, puxando a guia do trabalho, fez o que hoje seria impossível para um município médio. Deputado Estadual, Secretário de Estado.
         Ele me ensinou fazer asfalto barato. Eu fiz com ele. E por ultimo, no Governo atual, ele tocou pra mim duas obras, em Alto Alegre dos Parecis e Guajará. Sempre dando um jeito de se fazer mais com menos.
         Tive rapidamente no seu velório. Em nome do povo rondoniense, para dizer o adeus de Rondônia a um filho ilustre. Posso dizer que sua família foi dona do noroeste rondoniense. Ele desapegado de bens, só deixa o seu nome, a sua obra e muita amizade.

Fonte: Blog do Confúcio Moura

domingo, 25 de dezembro de 2011

Coluna Falando Sério

Na quinta-feira (22/12) dessa semana foi transmitida em rede nacional a propaganda eleitoral do Partido Trabalhista Brasileiro – PTB, que teve como principal fundador o estadista Getúlio Vargas. O programa do PTB fez um paralelo entre Judas e a corrupção. Com linhas afirmativas durante todo tempo que a corrupção seria o Judas moderno, provocando sangria nos cofres públicos. Desviando recursos da educação e saúde principalmente, dizendo que o Estado se torna pesado por conta da cobrança da pesada carga tributária existente. O discurso do presidente nacional da legenda trabalhista na TV, Roberto Jeferson na TV, se apresentou sombreado de amnésia. Pois o mesmo foi o maior protagonista do escândalo dos Correios, do esquema do “mensalão” no governo Lula. No seu partido ainda tem sanguessuga e um deputado estadual, que até pouco tempo foi presidente da Assembléia Legislativa do Estado de Rondônia e encontra-se foragido da justiça, acusado de desviar gigante soma de verbas da saúde. É de se pensar até onde vai à cara de pau de alguns no mundo da política, você não acha?

Foragido

O deputado estadual Valter Araújo (PTB) ao se tornar foragido da justiça, agora é considerado réu confesso diante das acusações que recaiu sobre seus ombros com a Operação Termópilas da Polícia Federal.

Expulsão

Com a propaganda eleitoral do PTB essa semana, se fosse um partido sério como apareceu nas telinhas da TV, já teria expulsado os mandatários detentores de cargos eletivos envolvidos em escândalos de corrupção.

Garantia

A informação partiu do presidente regional em exercício do Partido Democrático Trabalhista – PDT, Rui Mota, que tem em seus quadros, o senador Acir Gurgacz, disse que estaria pronta a expulsão do deputado estadual Saulo da Renascer da legenda brizolista.

Lembrando

O deputado estadual Saulo da Renascer (PDT) envolve-se no esquema de propinas desbaratado pela Operação Termópilas da Polícia Federal. Lembrando, seu berço político é a cidade de Ariquemes.

Indiciada

Apesar das juras de inocência, foi ajuizada uma ação penal de corrupção ativa pela Justiça rondoniense a deputada estadual Ana da 8 (PT do B).

Decoro

O deputado estadual Ribamar Araújo (PT) que tem o discurso moralista, até a presente data não moveu uma palha para pedir a cassação dos seus pares envolvidos na Operação Termópilas.

Blogando

O senador Acir Gurgacz (PDT) divulgou em seu Blog que os servidores da Polícia Militar do Estado de Rondônia serão os primeiros na transposição para os quadros da União.

Prejuízos I

Passada a greve, a UNIR já amarga os seus primeiros prejuízos, ou seja, perdeu as seguintes verbas: 8 milhões para compra do terreno de 118 hectares para ampliação do Campus de Rolim de Moura.

Prejuízos II

O campus de Guajará-Mirim perdeu 200 mil destinado a reforma e projeto de acessibilidade. O curso de medicina perdeu mais de 5 Milhões, o Hospital Universitário também perdeu uma verba de mais de 1 milhão e a assistência estudantil ficou sem os 300 mil do PNAE.

Micros

Todos sabem que o movimento grevista da UNIR teve origem nas reivindicações de questões micros, a exemplo de lâmpadas, manutenção de bebedouros, conservação e limpeza dos campi, aquisição de material de expediente, aquisição de material para os laboratórios etc.

Macro

A reitora em exercício, professora Maria Cristina, em recente reunião, confessou que não se concentrará nas questões Micros, pois as questões Macros são mais urgentes para serem tratadas.

Bruxas

Terminada a greve da UNIR, a universidade está vivendo um verdadeiro caça as bruxas. Quando se deveria construir uma “coalização” e manter um dialogo permanente para superação conjunta dos problemas que afligem a comunidade universitária daquela instituição de ensino.

Trabalho

Quem vem trabalhando muito é o Reitor Raimundo Jimenez do Instituto Federal de Rondônia – IFRO. O homem não para e garantiu para o ano de 2012, novas unidades nos municípios de Guajará-Mirim e Buritis.

Braçada

Quem está nadando de braçada é a deputada estadual Glaucione (PSDC) na intenção de votos para se tornar prefeita de Cacoal.

Liderando

Em Colorado do Oeste quem vem liderando a preferência do eleitor na corrida eleitoral é o atual prefeito Anedino da Farmácia (PP). Se a eleição fosse hoje, este se reelegeria com larga folga a frente dos atuais adversários.

Experiência

Com a experiência acumulada como presidente da Câmara Municipal de Porto Velho por duas vezes, o deputado estadual Hermínio Coelho (PSD), dar claras demonstrações que consegue dar conta do recado como presidente da Assembléia Legislativa do Estado.

Saúde

Os atuais prefeitos em sua maioria no Estado preferem fazer a política pública da ambulância do que realmente fazer a lição de casa garantindo investimentos na saúde de baixa e média complexidade.

Fraqueza

Pois nenhum homem de bem fica feliz com a desgraça alheia, nem muito menos pela fraqueza administrativa de um gestor público. Assim, quem não sabe fazer, seja pelo menos humilde, chame quem sabe ou aprenda a escutar

Novamente

Surge a grande pergunta novamente sobre a atuação parlamentar dos vereadores da capital em fiscalizar os atos executivos da prefeitura: está faltando quantidade ou qualidade?

Felicitações

Este Colunista e toda a Equipe do Jornal Estadão do Norte, deseja a todos os leitores um Feliz Natal.

A refelxão de natal


       Todos os anos são horas lendo as mensagens natalinas enviadas a mim. Ponho-me a refletir sobre tudo que se escreve ou chega pronto, e cada vez mais, acredito que nenhum homem na terra consiga viver sozinho na sua individualidade.
    Sinto que tanto conscientemente ou inconscientemente, traçamos caminhos em nossas vidas que nos leva a viver épocas ativamente do nosso mundo contemporâneo, ultrapassando os valores críticos, questionando a própria existência e as idéias de relações ultrapessoais que nos leva a chorar por ter feito o que fizemos e não ter sido quem somos.
        Cada individuo em sua grande maioria se firmam em numerosos objetivos pessoais de vida, pautando-se na esperança, nas finalidades e nas perspectivas de se tornar um vencedor, ultrapassando limites e superando os obstáculos que tentam dominar a alma, bem como da própria parte física e orgânica do corpo.
       O homem precisa sempre se desprender cada vez mais dos sentimentos egoístas, do orgulho, do desamor, desesperança, desunião, da agitação exterior e de conceitos morais representados por tabus vencidos pela modernidade. Sempre devemos nos perguntar satisfatoriamente “porque e para quê?”.
    Assim, quem não consegue se dispuser a desprender-se e formular suas próprias perguntas, o ser fará do mundo que o rodeia, uma cortina de angustia, frustração, decepção, indecisão e solidão. O individuo herói cheio de vitalidade e elogios, deixará de existir, para se tornar um robusto medíocre que o tempo todo se condenará a si, ou aos outros, pelos seus próprios preconceitos não vencidos.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Geração Y é um Blog inspirado por pessoas como eu!


        Tenho que confessar, que passado muito tempo, caminhei para o erro as vésperas das festas natalinas. Deixei que a emoção me tomasse, tornei o inicio da noite de ontem tensa para mim mesmo. O meu sistema nervoso beirou a um colapso, meu estado de espírito angustiou-se, os sentimentos de indignação tomaram conta dos meus impulsos, veio à tona um discussão sem sentido, levando a quebra da regra de ouro, culminando com a confiança perdida, com a minha esperança arrasada, o mundo das ilusões foram frustrados e o meu imaginário foi humilhado! E ai me pergunto o que está acontecendo?
         Tal fato na noite passada me serviu para levar-me ao término da leitura do livro De Cuba com carinho, com autoria de Yoani Sánchez. Livro tal que me foi presenteado por um amigo. Os textos publicados no livro são recortes retirados do blog Generación Y, alimentado pela blogueira cubana mencionada acima, que retrata o cotidiano da Ilha de Cuba comandada pelos irmãos Fidel e Raúl Castro. A autora não escreve sobre política, mais nos aproxima bem da realidade econômica decadente da ilha e do regime castrista que vigora há cinqüenta anos.
         A leitura continua dos textos trouxe a minha mente às recordações de adolescente, quando aos meus catorze anos recebi da mão do meu pai, o livrinho manifesto comunista, e depois de realizado a sua leitura, recebi durante toda uma tarde, atenção do meu pai me explicando como funcionava a dialética do conhecimento. Tais contribuições me levaram a conviver com as forças de esquerdas juvenis no movimento estudantil em João Pessoa, capital da Paraíba.
         É de minha natureza ser um perguntador, fui buscar na companhia dos livros, o meu refúgio de adolescente. Tive uma passagem rápida pela União da Juventude Socialista – UJS, um braço de cooptação de jovens para se tornarem futuros militantes do Partido Comunista do Brasil – PC do B. Não me cansava de escutar o comunista Simão Almeida, esse na década de 1990 consegui exercer um único mandato de deputado estadual. Naquele tempo, eu perguntava a todos, se para um regime político e econômico ser bom, era preciso privar as pessoas da liberdade, matar inocentes, promover guerras, partir uma nação ao meio, permitir a existência de uma elite burocrática, viver a beira de uma hipotética guerra nuclear, sob ameaça de uma ordem bipolar que poderia levar o nosso planeta a destruição, bem como, a perduração de ditadores por muito tempo no poder.
         As respostas obtidas para tantas perguntas que eu fazia, partia de afirmativas que o socialismo deveria triunfar sobre o capitalismo, o bem deveria vencer o mal, o mundo viveria melhor sem a divisão de classes, todos passando a viver em plena igualdade, sem competições, sem concorrência e suprimindo a Lei da Mais Valia. Teve um dia que meu pai me apresentou o livro Perestroika e Glasnost de Mikail Gorbachev, este o último líder comunista que comando a ex-URSS.
         Quando terminei a leitura de ambos os livros, percebi o quanto o regime comunista da URSS e do Leste Europeu teria ficado bem atrás do capitalismo, tanto na economia como no universo político. Nesse momento, travei a maior discussão ideológica com meu pai e com todos do meu circulo de amizade que defendia um Brasil comunista. As minhas perguntas tomavam corpo, a partir do momento que presenciava pela TV a queda do Muro de Berlim, a desintegração dos países comunistas do Leste Europeu, e por fim, a desintegração da URSS. Até hoje me pergunto, será que eu estava errado?

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Rondônia, minha grande paixão!


         O tempo passa muito rápido, se brincar, ao passar por nós, corre o risco de ficarmos para traz. A concentração não vem, permaneço no abstrato, bem longe do concreto. O meu imaginário está disperso, os dedos imóveis, olhos cansados e pensamentos longes por conta da ansiedade. Tal estado de espírito atrapalha esse aprendiz, me deixa sem inspiração, interrompe a vontade de brincar com as palavras.
         Recorrendo as linhas do tempo, as minhas recordações nesse momento se reportam aos seis anos que descobri Rondônia com seus encantos, suas belezas geomorfológicas, o esplendor da floresta, a riqueza da fauna, a opulência dos rios, a pureza das águas dos igarapés, o cheiro das várzeas, o solo generoso, a saborosa gastronomia, a heterogênea herança cultural, rica em costumes e tradições, que fazem do seu povo, como diz o nosso hino, destemidos pioneiros.
         A linha do tempo me leva ao dia 19 de dezembro de 2005, parto do Aeroporto Presidente João Suassuna, localizado na cidade de Campina Grande, mais conhecida entre nós paraibanos como a Rainha da Borborema, distante a 120 km de João Pessoa, capital do Estado da Paraíba. Lá, contrariando a Lei da natureza, pois nasci e me criei em João Pessoa, não partir do Aeroporto Presidente Castro Pinto. O único parente a despedir-se de mim, foi meu sobrinho Neto Lins, que depois de cinco anos, juntou-se a mim, vindo também radicar-se em Rondônia.
         A data acima mencionada foi a que marcou o inicio de minhas férias no Estado de Rondônia, chegando a Porto Velho senti o coração bater mais forte. Depois, no dia 21 de dezembro segui para a cidade de Nova Mamoré, lugar que se tornou meu berço, adotei como a cidade do meu renascer, se tornando a minha paixão e seu povo, tem a minha eterna gratidão.
         De cara, passei a noite de Natal e a virada de Ano Novo longe da família e de amigos, nem eu mesmo sabia que um novo ciclo em minha vida iria se iniciar. Quando decidi ficar, dias antes fitei em minha mente as palavras celebres do professor Adriano D´León, que não poderia mais me prender a projetos antigos, seguir o exemplo do escrito José Saramago, este em vida, sempre foi capaz de desprender-se do que não deu certo em sua vida, recomeçar e sabiamente continuar a sua jornada.
         Seguindo sábias palavras de um bom conselheiro, busquei em Rondônia construir caminhos que me levasse à felicidade plena através de outro grande conselheiro, meu amigo que tanto respeito e admiro Paulo Roberto Matos, que me ensinou de cara, que entre ter razão e ser feliz, é melhor sermos sempre feliz. Assim, concluo as minhas homenagens a Rondônia, minha grande paixão e a Nova Mamoré, o meu eterno caso de amor. Peço perdão a muitos outros amigos e amigas, não referenciados, afinal, são tantos que fazem parte da minha nova história, que correria o risco de cometer injustiça ao deixar alguém de fora.

Sociedade e seus Mundos Paralelos: a desconstrução do discurso


         Todos nós que enveredamos pelo estudo das ciências sociais, logo aprendemos que todas as formas de espaço são produtos históricos, resultante da ação do homem sobre a natureza, a transformando em espaços artificiais e que a cada instante, representa relações sociais dinâmicas, dando origem à produção do espaço visível.
         A geografia regionaliza o mundo com diferentes critérios como forma de facilitar o estudo do mesmo, buscando apresentar diversas análises especifica, descartando a generalização de informações.
         No período da ordem bipolar, conhecido como Guerra fria, o mundo foi dividido em três mundos, ou seja, Primeiro, Segundo e Terceiro Mundo. Assim, os países que forma o grupo de Primeiro Mundo possuem parques industriais modernos de elevado nível tecnológicos, economias fortalecidas e apresenta indicadores sociais elevados.
         Quanto ao grupo de países que formam o segundo mundo, a regionalização geográfica considera que é formado pelos países de economia planificada, ou seja, o grupo de países ex-socialistas, sendo que essa designação não se usa mais. No entanto, muitos autores ainda classificam o Segundo Mundo como os “países em desenvolvimentos”, ou seja, de economias emergentes, representado pelo BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), que juntos formam um grupo político de cooperação.
         Por fim, o grupo de países que forma o Terceiro Mundo são nações que possuem economias subdesenvolvidas ou em vias de desenvolvimento, espalhadas na América Latina, África e Ásia. E a partir de uma observação que constatou a existência de uma grande disparidade econômica, social e política entre as nações analisadas. Tais disparidades e diferenças, o economista francês Alfred Sauvy no ano de 1952, atribuindo pela primeira vez à expressão “Terceira Mundo” as nações marginalizadas no cenário mundial, que na sua grande maioria, sãos os países latinos, asiáticos e africanos.
         Então, a regionalização a partir dos três mundos, está de acordo com a Teoria dos Mundos, designação dada a partir do método de análise usando a partir do ano de 1945 e perdurou até o ano de 1990. A expressão se refere à subdivisão do mundo por grandeza econômica, apesar dessas expressões na atualidade não serem muito usada e mesmo recebendo muitas criticas na atualidade, as denominações mais comuns e usadas são: países desenvolvidos e subdesenvolvidos.
         Então, com base nos ensinamentos do geógrafo Milton Santos precedido na noção de totalidade e análise da teoria do espaço. Tracei no meu imaginário, linhas de reflexão sobre o texto a “Sociedade e seus Mundos Paralelos”, em determinado parágrafo, afirma que “precisamos deixar de lado esse primeiro mundo de ilusões e o segundo mundo das desigualdades e realidade em que nos encontramos e evoluir para um terceiro mundo de políticas públicas voltadas para o bem estar social”.   Ao discordar do ponto de vista do autor, quando nós que fazemos parte de uma sociedade de segundo mundo, que vivemos sob as hostes do primeiro mundo, não se pode evoluir de onde se veio. Uma grande controvérsia ao pensamento de Milton Santos e concluo, interpretando o pensamento sobre a sociedade e seus mundos paralelos, a partir dos conhecimentos acumulados, que a percepção de pertencimento e a insatisfação frente à indiferença do mundo não deve levar o ser humano a construir mundos paralelos abstrato, previsível, controlável ou em espaços perfeitos, mais sim, construir caminhos que nos leve ao mundo paralelo do Terceiro Mundo.

domingo, 18 de dezembro de 2011

Coluna Falando Sério

O ano praticamente já chegou ao fim, um ano marcado por muitas crises econômicas regionalizadas, atingindo os EUA e a Europa principalmente. Pelas bandas de cá, a presidente Dilma conseguiu afastar o fantasma da crise econômica arrochando o sinto da classe média e quem é rico, ficou mais rico e o pobre, cada vez mais pobre. Na Nova Rondônia, muitos setores do Estado conseguiram avançar. Mais o maior desafio do governador Confúcio Moura (PMDB) para 2012 será vencer os sabotadores do seu governo, ou seja, fazer um verdadeiro limpa nos “autocanibais” e “autonucleares” enraizados em setores da administração, prejudicando e emperrando o governo da cooperação, ou seja, segurando o freio de mão.
Balança
Quem sempre balança na boca da imprensa, mais não cai, é o secretário chefe da Casa Civil, Ricardo Sá. Este saiu ileso da Operação Termópilas, ou melhor, todos no meio político sabem do seu comportamento austero em toda sua vida pública.
Transposição
Quem tem se dedicado de corpo e alma pela transposição dos servidores é o Secretário de Administração Rui Vieira. O homem montou uma boa equipe de gestão e faz questão de acompanhar tudo bem de pertinho.
Tucanos
Os tucanos do PSDB da capital, em reunião na semana que passou, lançaram três nomes como pré-candidatos a prefeitos de Porto Velho, sendo que os dois mais cotados na boca do povo seria o do médico Alexandre Brito ou da vereadora Mariana Carvalho.
Fritados
Quem poderá sair fritado do processo de escolha no frentão formado pelo PSDB, PR e PV, são os pré-candidatos a prefeito Miguel de Souza e Lindomar Garçon, respectivamente.
Surpresa
Não se espante, pois um passarinho vermelho me contou que o nome da chefe da Gabinete do prefeito Roberto Sobrinho (PT), Miriam Saldanha, pode surgir como pré-candidata a prefeita da legenda petista e seria ungida pelo presidente do diretório municipal Tácito Pereira.
Afastada I
Ao contrário da prefeita de Fortaleza, Liziane Lins (PT), que parte para o embate nos processos políticos internos da legenda. A ex-senadora Fátima Cleide (PT) vem sempre afirmando que os CPF são diferentes das lideranças partidárias.
Afastada II
A ex-senadora Fátima Cleide (PT), esquece que tal atitude de silêncio e de não envolver-se nas questões internas do partido, a torna passiva de tudo, deixando o eleitor com as barbas de molho.
Itapuã
O prefeito João Testa (PMDB) do município de Itapuã do Oeste tem reeleição garantida se a eleição fosse hoje. O homem enxugou a máquina, alocou muito recursos e vem se revelando como um grande tocador de obras.
Cujubim
Este Colunista em conversa com lideranças políticas locais no município de Cujubim, afirmaram que o atual prefeito Ernan Amorim (PRTB) vai ter que suar a camisa para ser reeleito.
Machadinho
Em Machadinho do Oeste o atual prefeito Marinho da CAERD (PV) tem reeleição garantida. Isso, se o deputado estadual Neodi Oliveira (PSDC) não vier candidato a prefeito.
Ariquemes
O atual prefeito Márcio Raposo (PSD) vai ter que sair da toca, pois mesmo com o possível apoio do governador Confúcio Moura (PMDB) para buscar a sua reeleição, o nome que está na boca do povo é do deputado estadual Lorival Amorin (PMN).
Vale do Anari
O nome de Lidiane Hidalgo (PHS) vem crescendo no município do Vale do Anari para uma possível disputa majoritária. Seria uma disputa teco a teco com o atual prefeito Nego Maturana (PTN) que tentará a sua reeleição.
Comando
O poder judiciário estadual tem novo comando. Ontem quem assumiu a presidência do Tribunal de Justiça do Estado foi o desembargador Roosevelt Queiroz em substituição ao desembargador Cássio Sbarzi Guedes.
Comportamento
O desembargador Cássio Sbarzi Guedes é um homem de extrema simplicidade e teve sua vida marcada por um comportamento exemplar de seriedade e austeridade. O seu maior feito foi dar inicio ao processo de ampliação de acesso das pessoas a justiça no Estado.
Arquivado
O presidente do Tribunal de Justiça de Rondônia, Cássio Sbarzi Guedes, mandou arquivar o pedido da Assembléia Legislativa sobre a decisão do desembargador Sansão Saldanha que afastou da Mesa Diretora.
Eleição
Assim, os deputados Jean Oliveira (PSDB), Epifânia Barbosa (PT), Ana da 8 (PT do B) e Flávio Lemos (PR) envolvidos na Operação Termópilas, ficam fora da mesa e agora, a cobra vai fumar! É preciso então, ter uma nova eleição para a mesa diretora da ALE.
Discreto
Quem vem fazendo um trabalho discreto mais eficiente na EMATER é o secretário executivo da pasta, Elisafam Sales (PT). Este vem tentando trazer para o órgão extensionista de apoio ao produtor rural, o caminho da inovação e implementação de novas tecnologias visando fortalecer a cadeia produtiva do Estado.
Diferença
Segundo a afirmativa do articulista Rudolfo Lago, osPolíticos que misturam o público e o privado, que não têm noção da diferença entre as duas coisas, sempre existiram. Mas quando essa confusão acontece com o próprio presidente da Câmara, ela ganha graves contornos institucionais”.

sábado, 17 de dezembro de 2011

Machadinho do Oeste, lugar de futuro!


            Esse final de semana está sendo a minha última peregrinação do ano para sempre manter o PHS 31 em movimento. Estou a 400 km de casa para finalizar minhas andanças do ano que se finda, levando a mensagem do humanismo e da solidariedade a alguns municípios que compõe a região de Rondônia compreendida geograficamente como Vale do Jamari.
            Na sexta-feira me concentrei no município de Machadinho do Oeste e pela primeira em três anos como presidente estadual do PHS, tive a oportunidade de entrar na FM 97 e ser entrevistado pelo radialista nobre Ezequiel Junior.
            A entrevista foi uma das melhores da minha vida, a final, o radialista Ezequiel Júnior é um profissional preparado e ético. Temas importantes foram abordados como o crescimento do PHS no Estado, dos projetos futuros do partido que represento, a pistolagem no município de Alto Paraíso, por coincidência, quem faz oposição ao prefeito do lugar, é assassinado e existe ainda existe uma lista com dez nomes que serão mortos. Também fui provocado a fazer uma análise da Nova Rondônia e considerei que o governo da cooperação avançou em muitas áreas e outras ainda estão sofrendo correções para não ficar pra traz.
            Na entrevista fiz uma análise sobre as nossas lideranças regionais, afirmando que o nosso governador Confúcio Moura faz política pensando, o senador Valdir Raupp escutando e o senador Ivo Cassol no grito. São características de cada um deles e é natural que os líderes se comportem diferentemente um do outro, se não, não seriam líderes.
            Informei ainda na entrevista sobre a nossa agenda no Município de Machadinho do Oeste e o motivo principal da nossa visita é fortalecer a nossa legenda partidária para as eleições 2012. Assim, ao término da entrevista, pedi ao companheiro Messias, fundador do PHS de Machadinho, que se o nosso partido chegar a eleger um único vereador em Machadinho, esse teria que seguir o exemplo do radialista Ezequiel Júnior que também é vereador.
            Sempre acompanho as notícias de Machadinho pelas redes socais e entendo que o vereador Ezequiel Junior vem fazendo um grande trabalho na defesa da população em geral com uma atuação séria, comprometido com os valores morais e éticos, logo afirmei no ar, que não conheço nem uma mácula na história da vida do Ezequiel Júnior, um só ato de desonestidade que viesse a desabonar a sua conduta, resumindo, um homem probo.
            Na minha passagem por Machadinho do Oeste, tenho só a agradecer o carinho recebido dos filiados, da militância e dos líderes Messias Fernandes, Abraão Cruz, Luíz da Padaria, Cida da SICRED, Zé Panelas, do Marco Antonio, do Willis, do Gordo do assentamento Campo Novo, do Amigão, do Samir e de tantos outros, que cada vez mais, ajudam na grande roda que faz com nosso PHS 31 esteja sempre em movimento.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Feliz aniversário há zero hora


            Ainda morando em João Pessoa, mantive no meu grande circulo de amizade uma maior aproximação com meus amigos Acácio e Diógenes, uma dupla de irmãos que até hoje mantemos contato quase que diariamente pelos meios eletrônicos de navegação.
            Os dois são irmãos, um nascido na Bahia e outro na Paraíba. O Acácio estudou educação física e Diógenes foi pelo caminho da psicologia, se tornando Professor Doutor. Mais ambos tiveram uma longa jornada para chegarem e conselhos não faltaram desse Amigo Velho aqui.
            Meu amigo Diógenes faz aniversário na véspera da data do meu, motivo pelo qual emendávamos a festa de comemoração. Coisa de jovens que ainda se mantinha numa pós-adolescência interminável. Lembranças que sempre vem a minha memória e muitas vezes arrancam sorrisos discretos no canto da minha boca.
            Então, a virada de quarta-feira pra quinta-feira (15/12/11) me fez relembrar tal fato mencionado acima, pois consegui arrancar depois do trabalho, o casal amigo de professores, Auzenir e Jackson, para ouvirmos um pouco de música sertaneja e colocar o assunto em dia, pois andávamos um pouco distante devido à carga de tarefa diária que as nossas vidas profissionais nos impõem.
            Conheci o professor Jackson e a professora Auzenir em Colorado do Oeste, precisamente na fase de transição da Escola Agrotécnica Federal para Instituto Federal de Rondônia – campus Colorado do Oeste. Tal aproximação se deu quando me tornei professor substituto no IFRO e desde então, cativamos essa verdadeira amizade.
            O destino nos prega cada peça, pois tive o enorme prazer de está com esse casal maravilhoso em plena zero hora e dar os parabéns sinceros de feliz aniversário ao amigo Jackson, claro, depois dos cumprimentos afetuosos de Auzenir, que cozinha um peixe a baiana delicioso, iguaria preparada por ela que dar vontade de lamber o prato com os dedos.
            Não poderia ser diferente, pois a nossa noite se resumiu em falarmos de ensino profissionalizante e tecnológico, bem como do avanço do IFRO. Também conversamos das nossas lembranças e saudades de Colorado do Oeste, bem como dos nossos amigos deixados por lá. Eita tempo bom, no qual pude ser professor dos “agricolinos”.
            Concluo rendendo minha homenagem no dia de hoje a esse casal forte, obstinados e que souberam criar três filhos maravilhosos. Auzenir e Jackson são pessoas da maior simplicidade, de corações puros e que vivem do lar para o trabalho, do trabalho para o lar. São exemplos de profissionais, filhos, pais, amigos e quem goza da amizade de ambos, tem que agradecer a Deus por tal oportunidade.