domingo, 27 de fevereiro de 2011

Rodrigo, o comandante do vôo D-28
É "Ô Cara!"
Considero um amigo como poucos!
Muito sucesso para você!
Abraços, professor!

(Rodrigo Grangeiro, 10/06/2008)

                Já poderia ter escrito algo ao meu amigo Rodrigo Grangeiro, mas estava angustiado, sem querer acreditar nas vozes dos amigos que me ligaram, que postaram e-mail, que deixaram recados no orkut ou mesmo aqueles que enviaram torpedos pelo celular. Fiquei atônito no início de fevereiro, precisamente no dia sete, data cabalística da bíblia, data que vai marcar a partida do nosso Comandante Oliveira ao mundo celestial, que o tirou do nosso convívio, mas uma coisa é certa e me conforta, o sete na bíblia representa revelação e afinal, o nosso mundo foi criado em sete dias e assim por diante.
 
                Seguindo essa linha de pensamento, Rodrigo, um jovem talentoso, amigo sempre a servir, seu rosto marcado por um sorriso constante, fazendo dele um jovem cheio de vida, foi assim que o conheci como colega do primeiro período do curso de Direito ofertado pela Faculdade UNIRON, mas precisamente, na turma D-28.  Fizemos alguns trabalhos em grupo, sua inteligência era privilegiada, nos estudos em grupo, ele não deixava escapar nenhuma, sempre tinha uma piada ou mesmo galanteava o coração de nossas colegas.

                Sou pai de um único filho, o Luíz Renato, logo que nasceu, estava lá Rodrigo nos visitando na maternidade, acompanhado de sua mãe Niura e do seu pai, Dr. Hugo Grangeiro, homem de espírito público, que tanto amava seu filho, uma relação mais de irmãos do que de pai para filho, em especial, imagino o tamanho da dor da família perder o filho único. Assim, tentei me confortar nas palavras de William Shakespeare quando afirma que “verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias... Aprende que não temos de mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam… Percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos. Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa… por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas; pode ser a última vez que as vejamos”, a promessa se cumpriu, a última vez que estive com Rodrigo foi no balcão do Aeroporto Jorge Teixeira, parecendo mais um comandante da Gol Linhas Áreas.
                Na vida real, Rodrigo soube ser o menestrel em nossas vidas, me levou ao convívio dos seus pais, nos deixou um legado de gestos de bondade, de palavras certas no momento certo. O seu maior sonho era ser piloto aviador, me relatava com paixão o seu desejo de sentar-se numa cabine de um avião comercial e dar as boas vindas aos passageiros, nos intervalos de nossas aulas, falava das aeronaves, da capacidade de carga, do transporte de pessoas, dos problemas mecânicos que apresentava, da decolagem e aterrissagem, do consumo de combustível, dos destinos, dos grandes acidentes aéreos, afinal, eu perguntava o que ele estava fazendo em plena faculdade de Direito, ele sorria e dizia, “tudo ao seu tempo, já estou trilhando o caminho para realizar o meu grande sonho”.
                O nosso amigo Rodrigo, tornou-se o Comandante Oliveira da nossa turma D-28, muitos já tiveram destinos diferentes nesse vôo, realizaram conexões, ou mesmo mudaram o percurso do seu destino e ele ainda mais, mesmo distante de nós, tenho certeza de sua luta contra uma doença rara que veio a derrubar o seu vôo entre nós. Mas a sua amizade ficará nas nossas lembranças, nas recordações do convívio com a Ingrid Medeiros, Jéssica Negano, Augusto Sivertsen, Karla Barbeto, Verônica Prado, Alam Marx, Scott, Carolina, Alessandra, Ivan Ronald Arnz, Cléia, Diana, Daniel Henrique, Suzana, Tiago Freitas, Rômulo, Eliane, da Lucineide e o carinho que você tinha pelo meu filho Luíz Renato, e tantos outros que me foge a memória, mas em mim, ficará guardado o depoimento deixado no meu perfil do Orkut em que o transcrevi para iniciar esse texto reflexivo sobre sua passagem em nossas vidas e tenho certeza que o seu espírito esta ao lado do nosso pai celestial.

Um comentário:

Karla disse...

Herbert, infelizmente me emocionei logo no primeiro parágrafo do seu texto e não consigo acabar de ler com os olhos marejados...
O Rodrigo foi muito especial pra mim também. Ainda sinto muito pela perda.
Karla Barbeto. ://